Fernanda Prestes Eventos
11 5084 4246 - 5081 7028 janice@fernandapresteseventos.com.br
XV CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPLANTES 2017

XV CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPLANTES 2017

LOCAL: Bourbon Cataratas - Foz do Iguaçu/PR - FOZ DO IGUAÇU /PR | 18 a 21 de Outubro de 2017

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ASSOCIAÇÃO ENTRE OS IMONOSSUPRESSORES E AS NEOPLASIAS EM PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS

Introdução

O número de receptores renais tem aumentado progressivamente com as melhorias das técnicas cirúrgicas e o desenvolvimento de novos imunossupressores, entretanto tem em maior risco de desenvolver neoplasias. O objetivo foi investigar a associação dos imunossupressores e as neoplasias em transplantados renais.

Material e Método

Estudo de caso-controle, documental retrospectivo, com abordagem quantitativa. A população consistiu de receptores submetidos a transplante renal no período de janeiro de 2005 a dezembro de 2014, acompanhados em um Hospital Universitário.

Resultados

Foram realizados 742 transplantes renais e encontrados 55 neoplasias em 44 pacientes (5,93%). A média de idade foi de 46,2 ± 13,9 anos e o tempo médio entre o transplante e o diagnóstico da neoplasia foi de 44,6 ± 28,7 meses. Os tipos de tratamento de rejeição aplicados, nos tratamentos com imunoglobulina e plasmaférese, houve uma proporção estatisticamente maior entre os casos em comparação aos controles (15,9% e 3,6%) e (9,1% e 1,8%), respectivamente (p=0,007 e p=0,034). Na imunossupressão de indução, os tratamentos mais reportados foram basiliximabe (54,5%) e thymoglobulina (40,9%). Na imunossupressão de manutenção inicial, os tratamentos mais utilizados foram o tacrolimo (86,4), prednisona (72,7%) e o micofenolato (65,9%). As alterações dos imunossupressores por classe que mais ocorreram foram a suspensão do micofenolato (29,6%) e conversão para inibidores da mTor (27,3%), seguida da suspensão dos inibidores da calcineurina (18,2%).

Discussão e Conclusões

A individualização da imunossupressão e o manejo adequado dos transplantados renais com neoplasia permitem que estes tenham uma boa evolução. As pesquisas tem como objetivo encontrar drogas imunossupressoras com menor toxicidade e maior efetividade.

Palavras Chave

Transplante de rim. Neoplasias. Imunossupressores.

Área

Rim

Instituições

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO WALTER CANTÍDEO - Ceara - Brasil, UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - Ceara - Brasil

Autores

LÍVIA CRISTINA BARROS BARRETO, PAULA FRASSINETTI CASTELO BRANCO CAMURÇA FERNANDES, YAGO LIMA BARROZO, MATHEUS HENRIQUE SEIXAS SANTOS, CLÁUDIA MARIA COSTA OLIVEIRA, LEYLA CASTELO BRANCO FERNANDES MARQUES, SÔNIA LEITE SILVA, JOSÉ ROBERTO LOPES SILVA, DANIELLE LIMA PINTO