Fernanda Prestes Eventos
11 5084 4246 - 5081 7028 janice@fernandapresteseventos.com.br
XV CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPLANTES 2017

XV CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPLANTES 2017

LOCAL: Bourbon Cataratas - Foz do Iguaçu/PR - FOZ DO IGUAÇU /PR | 18 a 21 de Outubro de 2017

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Indução da tolerância oral a transplante de pele mediado por linfócitos B transicionais

Introdução

Os diferentes tipos de Tx compartilham semelhantes dificuldades relacionadas ao MHC e Antígenos de Histocompatibilidade Menor (MiHA), desencadeando a ativação do sistema imune adquirido. Com o objetivo em suprimir resposta aos MiHA, foi utilizado um protocolo de indução de tolerância oral através da Terapia Combinada (TC).

Material e Método

Utilizamos o modelo de Tx de pele de camundongos C57BL/6 macho(doador) e fêmea(receptora). O protocolo da TC consistia da administração oral de extrato proteico do baço do doador + bactéria Lactococcus Lactis para o grupo tratado e PBS e água para o grupo não tratado. A TC foi administrada por um período de 4 dias consecutivos por gavagem e no 10° dia ambos os grupos (tratado e não tratado) receberam o Tx de pele. As análises do enxerto, baço e linfonodo mesentérico (LM), foram realizadas 20 dias após o Tx. Foi também analisada as diferentes concentrações do extrato proteico (50, 5 e 0,5μg/ml).

Resultados

O grupo tratado com a TC manteve a sobrevida do enxerto e o grupo não tratado rejeitou. Todas as 3 doses foram eficientes na manutenção da sobrevida do enxerto. O grupo tratado apresentou uma frequência elevada de duas populações de células Treg (CD4+CD25+Foxp3+ e CD4+CD25-Foxp3+) na pele do Tx em comparação ao não tratado. Ao analisar ambos os grupos para identificar as células responsáveis pela indução de Treg, não se observou diferença significativa na população de células dendríticas CD103+ no LM e baço. Porém, a frequência na população de células B transicional no LM dos animais tratados estavam elevadas. Ao retirar o LM dos animais e depois tratá-los com a TC, levou a rejeição do Tx.

Discussão e Conclusões

É inferido a participação dos linfócitos B transicionais e linfonodo mesentérico na indução da tolerância oral a partir da TC.

Palavras Chave

Tolerância oral, células Treg e B

Área

Imuno/Histo/Tecidos

Instituições

FIO CRUZ - Rio de Janeiro - Brasil, HOSPITAL FEDERAL DE BONSUCESSO - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

LUCIANO SANUTO SANUTO LEITE, ADRIANA CESAR CESAR BONOMO, Rômulo Gonçalves Gonçalves Galvani