CONGRESSO PAULISTA DE CIRURGIA - 21º ASSEMBLÉIA CIRURGICA DO CBCSP

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DIVERTICULOS DUODENAIS E SUAS COMPLICAÇOES: UM RELATO DE CASO

INTRODUÇÃO

Divertículos duodenais (DD) apresentam incidência de aproximadamente 20% na população. Geralmente assintomáticos, apenas 5% dos pacientes manifestam sintomas como compressão de órgãos, colestase, hemorragia, inflamação ou, mais raramente, perfuração e enterolitíase.

RELATO DE CASO

ELC, 67 anos, sexo feminino, portadora de DD, iniciou quadro de vômitos, dor e distensão abdominal. Passado de gastrectomia parcial com reconstrução em Y de Roux há 04 anos. À admissão apresentava elevação de proteína C reativa e leucocitose com desvio à esquerda. Realizada tomografia computadorizada de abdome que evidenciou imagem ovalada de 4x3cm obstruindo luz em região da transição jejunoileal com dilatação de alças à montante e colabamento à jusante até a válvula ileocecal. Evidenciados DD - o maior em região posterior da 2a porção duodenal, contendo formação sugestiva de cálculo de 2x1,4cm. Solução de continuidade da parede póstero inferior de divertículo e retropneumoperitôneo difuso associado a líquido de permeio, sugerindo perfuração.
Paciente submetida a laparotomia de urgência com achado de cálculo de 7cm ocluindo íleo proximal e perfuração de volumoso divertículo de 2a porção duodenal, no qual foi encontrado cálculo de 3cm. Realizada enterotomia, retirada de cálculos e rafia primária; ressecção de porção necrosada do divertículo perfurado e rafia; lavagem da cavidade peritoneal e posicionado dreno siliconado em leito operatório. No terceiro dia pós-operatório evoluiu com drenagem de secreção entérica, configurando fístula duodenal. Optado por tratamento conservador, paciente recebeu alta hospitalar com dreno abdominal.

DISCISSÃO

Enterolítíase é causa incomum de obstrução devido à formação intraluminal de cálculos no intestino. Habitualmente são compostos de ácidos biliares ou cálcio, que se encontram solubilizados no conteúdo intestinal.
Mudanças anatômicas e intervenções cirúrgicas como enteroanastomoses e Y de Roux aumentam a produção dessas substâncias. Além disso, há acúmulo de secreção no interior de DD, o que induz a estase, crescimento bacteriano e desequilíbrio ácido-básico, resultando na precipitação de sais.
Enterolitíase sintomática geralmente se deve a complicações como inflamação e perfuração intestinal. Se ocorrer impactação do cálculo em sítio estenótico a obstrução se torna total, causando vômitos e dor epigástrica persistente.
No caso apresentado a paciente evoluiu com perfuração do DD devido ao cálculo. Esta complicação está associada a maior mortalidade, acima de 20%.
A maioria desses divertículos são observados no retroperitônio, por isso nem sempre haverá sinais de peritonite após a perfuração. Pode haver apenas a formação de um abscesso retroperitoneal e sepse.
Apesar de não haver consenso sobre o tratamento cirúrgico para DD perfurados, este é considerado mandatório em pacientes sépticos e instáveis. O tipo de procedimento depende da situação clínica e achados intraoperatórios.

PALAVRAS CHAVES

Divertículo Duodenal. Enterolitíase. Perfuração Duodenal.

Área

ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO

Instituições

Hospital Felício Rocho - Minas Gerais - Brasil

Autores

Carina Oliveira Freire Matias, Paula Carolina de Oliveira Andrade, Stella D'Ávilla Souza Ramos, Luíza Nascimento Ladeira, Ana Carolina Lemos Rosário de Azevedo, Cristiano Xavier Lima