CONGRESSO PAULISTA DE CIRURGIA - 21º ASSEMBLÉIA CIRURGICA DO CBCSP

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

PANCREATITE AGUDA NECROSANTE SECUNDARIA A HIPERTRIGLICERIDEMIA

INTRODUÇÃO

Pancreatite aguda (PA) é uma inflamação do pâncreas, que varia de forma leve, moderadamente grave e grave. Manifesta-se por dor abdominal, amilase e lipase 3 vezes o normal e/ou achados tomográficos de acometimento pancreático. A hipertrigliceridemia é a terceira causa mais comum (1 a 4%). A primeira causa é a litíase biliar (80%) seguida do uso de álcool (38%). A PA por hipertrigliceridemia apresenta níveis séricos de triglicerídeos (TGL) ≥1.000 mg/dL. O objetivo desse relato de caso foi descrever um caso de PA por hipertrigliceridemia, que se manifestou de forma grave sendo tratada de forma precoce com antibióticos (ATB) e com suporte pela infusão de insulina, plasmaférese e heparina.

RELATO DE CASO

Homem, 34 anos, atendido no PS da Santa Casa de São Paulo, com dor abdominal (8 em 10) em região epigástrica do tipo facada há 1 dia. Não houve melhora após uso de inibidor de bomba de prótons e anti-espasmódicos . Tornou-se difusa nas horas seguintes ao início dos sintomas. Negava eliminação de flatos, fezes, inapetência, náusea, vômitos e febre. Não apresentava comorbidades tais como: hipertensão, diabetes mellitus, etilismo, tabagismo, uso de drogas e cirurgias abdominais prévias à internação. Obeso (IMC= 33,8 kg/m²), FC=110 bpm, PA=150x90mmHg, eupneico, dor à palpação superficial difusa do abdome, com maior intensidade em flanco esquerdo e descompressão brusca negativa. Laboratório mostrou amilase=72U/L, lipase=126U/L, triglicérides=12.363 U/L e TGO e TGP impossibilitados de serem feitos devido à intensa lipemia. Rx de tórax, abdome e ultrassonografia normais. Tomografia computadorizada com processo inflamatório/infeccioso acometendo o pâncreas com coleções necróticas agudas de permeio (Balthazar C; Balthazar-Ranson 4). O diagnóstico de PA secundária a hipertrigliceridemia revelou escores: SOFA=3, APACHE II=7 e MARSHALL=0. A conduta foi jejum, analgesia, hidratação parenteral e administração de Meropenem. Houve piora do quadro para SOFA=4, APACHE II= 9 e MARSHALL=2 acompanhado por hiponatremia (Na=122mEq/L) e hiposmolaridade. Com 48 horas, iniciou-se dieta líquida e ciprofibrato, apresentando melhora clínica. Entretanto, evoluiu com picos febris e cetoacidose diabética, sendo introduzida bomba de insulina 0,1 UI/kg e transferido para UTI, onde realizou plasmaférese e teve como evento adverso do cateter Shilley trombose venosa profunda na veia femoral direita. Iniciou anticoagulação (heparina fracionada) havendo consequente recanalização venosa. Evoluiu bem com alta no 30º dia de internação. Atualmente encontra-se em terapia com varfarina e acompanhamento ambulatorial.

DISCUSSÃO

A pancreatite aguda necrosante por hipertrigliceridemia é das mais graves. Deste modo, percebeu-se que apesar da ocorrência de eventos adversos por conta do cateter de Shilley, a plasmaférese é um procedimento efetivo no tratamento da PA e deve ser considerada.

PALAVRAS CHAVE

Pancreatite Aguda; Hipertrigliceridemia; Antibiótico; Plasmaférese; Pâncreas

Área

FÍGADO, VIAS BILIARES E PÂNCREAS

Instituições

HOSPITAL CENTRAL DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO - Sao Paulo - Brasil

Autores

KASSEM SAMIR SALEH, ANDRÉ ORSINI ARDENGH, BRUNA DO NASCIMENTO SANTOS CROUZILLARD, NAIADE DE SOUZA MELLO, NADIA MIE UWAGOYA TAIRA, GIOVANNA ZUCCHINI RONDINI, GIOVANNA MOREIRA ARCAS, TERCIO DE CAMPOS