Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

OBESIDADE COMO FATOR DE RISCO PARA DOENÇA RENAL CRONICA NA ATENÇAO PRIMARIA

Introdução

A obesidade tem sofrido grande aumento em sua prevalência nas últimas décadas. Dentre as suas complicações, destaca-se a Hipertensão Arterial Sistêmica, Doenças Cardiovasculares, Diabetes Mellitus e Dislipidemia. Tais doenças podem contribuir de maneira significativa para o desenvolvimento de Doença Renal Crônica (DRC). Sendo a obesidade uma doença prevenível, modificável , seu manejo traz inúmeros benefícios para a população em geral. O objetivo do estudo foi observar a relação entre obesidade e Doença Renal Crônica em pacientes adultos da Unidade Básica de Saúde Vila das Belezas, na cidade de São Paulo

Material e Método

Foi realizado um estudo qualitativo/transversal com avaliação de dados de prontuários de pacientes eutróficos e obesos da UBS Vila das Belezas, divididos em três grupos: eutróficos com comorbidades( grupo 1), obesos com comorbidades ( grupo 2)e obesos sem comorbidades ( grupo 3). As comorbidades associadas aos grupos 1 e 2 foram: Hipertensão Arterial Sistêmica, Diabetes Mellitus tipos 1 ou 2, Dislipidemia e Doenças Cardiovasculares. Foram comparadas as taxas de filtração glomerular e valores de proteinúria entre os grupos para avaliar a relação entre obesidade e doença renal crônica. A taxa de filtração glomerular foi calculada pela fórmula CKD-EPI.

Resultados

Foram avaliados 246 pacientes, dos quais 65,4% do sexo feminino, 75,2% eram brancos, 23,6% eram negros ou pardos. Vinte e quatro porcento eram diabéticos , 59% hipertensos e 24% dislipidêmicos Proteinúria foi encontrada em 6,8% dos pacientes. A taxa de filtração glomerular teve média de 65 mL/min/1,73m2. Segundo os graus de DRC, foram encontrados: 49% estágio I; 43% II; 7,7% III; 0,3% IV. Em comparação aos eutróficos, os obesos com comorbidades apresentam maiores valores de ureia (37 ± 11 vs 32 ± 7 , p=0,02), de pressão arterial sistólica (113,3 ± 18 vs 123 ± 6, p=0,01) e de triglicérides (175,1 ± 100 vs 152,3 ± 42, p=0,02)

Discussão e Conclusões

A implementação de estratégias que visem à prevenção da obesidade bem como seu manejo quando já está instalada constituem medidas cruciais na prevenção e promoção de saúde, que são os fundamentos da atenção primária.

Palavras Chave

obesidade, doença renal crônica, hipertensão arterial

Área

Doença Renal Crônica

Instituições

Universidade Anhembi Morumbi - Sao Paulo - Brasil

Autores

Adriano Luiz Ammirati, Mariana Silva de Almeida, Diego Felipe de Oliveira