Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

FATORES ASSOCIADOS COM NEFROPATIA CRONICA DO ENXERTO EM SEGUIMENTO DE PACIENTES QUE RECEBERAM RIM DE DOADOR FALECIDO

Introdução

Anemia, episódios de rejeição aguda e a pior função renal do doador podem resultar em consequências biológicas deletérias em pacientes transplantados renais. Estes podem incluir maior morbidade e menor sobrevida do aloenxerto renal por nefropatia crônica do enxerto (NCE). Sendo que NCE é a perda mais comum do enxerto após o primeiro ano de transplante.
Objetivo: avaliar a associação entre a anemia após 6 meses em transplante renal nos receptores de doadores falecidos com a NCE.

Material e Método

Avaliamos e realizamos o acompanhamento de 255 pacientes transplantados renais de doadores falecidos no Hospital do Rim- UNIFESP por 10 anos (2008-2018). Avaliamos dados demográficos, creatinina dos doadores e dos receptores. Analisamos a concentração de hemoglobina (Hb) em 6 meses após o transplante renal, do tempo de isquemia fria (TIF), funcionamento retardado do enxerto (DGF) e o desfecho NCE. Definimos anemia com Hb < 13 g/dL para homens e Hb < 12 g/dL para mulheres. Comparamos 2 grupos NCE e não-NCE. Realizamos regressão logística binária utilizando NCE como variável resposta após as comparações.

Resultados

Observamos que 52 pacientes evoluíram com NCE. Observamos tempo de NCE 2,8+0,40 anos após o transplante. A creatinina do doador foi maior no grupo com NCE (1.85 + 0.8, 1.4 + 0.42; p<0.001). A concentração de Hb foi menor nos pacientes do grupo NCE (9,9 + 1,23; 1,3+2,2h; p<0.001). Houve 16 pacientes com NCE e que tiveram pelo menos 1 episódio de rejeição no período de seguimento (31%; p=0,01). Enquanto que 36 pacientes do grupo NCE tiveram DGF (69%; p=0.02). A creatinina do doador (OR = 3.155, IC 95% 1,620-6,144; p = 0,001), algum episódio de rejeição aguda doador (OR = 0.253, IC 95% 0,108-0,592; p = 0,002) e concentração de Hb após 6 meses de transplante (OR= 0.774, IC 95% 0,634-0,944; p = 0,01) foram independentemente associados à NCE.

Discussão e Conclusões

Encontramos que a concentração de creatinina do doador, a concentração de Hb do receptor em 6 meses após o transplante e a presença de algum episódio de rejeição aguda em transplante renal doador falecido foram preditores independentes para NCE.

Palavras Chave

Transplante renal, nefropatia crônica do enxerto

Área

Transplante

Instituições

EPM - UNIFESP - Sao Paulo - Brasil, Hospital do Rim - Sao Paulo - Brasil

Autores

Beatriz Oliveira Moura, Daniela Mendes Chiloff, Felipe Kenzo Yadoya Santos, Caio César Bovo Delfino, Giovanna Melanie Zavadzki, Sthefane Catib Froio, José Osmar Medina, Cláudia Rosso, Miguel Angelo Goes