Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

INFILTRAÇAO RENAL PELO MIELOMA MULTIPLO: RELATO DE CASO.

Introdução

A insuficiência renal (IR) é uma complicação comum relacionada ao mieloma múltiplo (MM), com incidência ao diagnóstico variando de 20 a 50% e apresenta causas variadas. O caso apresentado abaixo refere-se a uma apresentação renal pouco comum.

Material e Método

As informações foram obtidas por meio de revisão do prontuário, anamnese, exames laboratoriais e biópsia renal.

Resultados

N.S.S, 71 anos, previamente hipertensa em uso de enalapril; hidroclorotiazida e atenolol. Filha refere que há um ano e meio, paciente vem com quadro perda ponderal importante (30 kg) e dificuldade de memória para eventos recentes. Negava edema e hematúria macroscópica. Por alteração em função renal, foi encaminhada ao Nefrologista. Laboratorialmente, apresentava hemoglobina 5,1 g/dL; reticulócitos 1,2%; creatinina (Cr) 2,78 mg/dL; ureia (U) 36 mg/dL; cálcio total 8,5 mg/dL; urina I com proteinúria 1,3 g/L; 2 leucócitos/campo; hemácias ausentes; relação proteinúria/creatinina (p/c) em amostra urinária de 3,76 g/g; eletroforese proteínas séricas (EFPS) com pico monoclonal na região de gamoglobulina de 6,4 g/dL; albumina de 2,5 g/dL; imunofixação sanguínea e urinária com paraproteínas IgG/lambda; mielograma com hiperceluridade às custas de plasmócitos anômalos (39,2%). Realizada biópsia renal que evidenciou infiltração do parênquima renal MM produtor de cadeia leve lambda; nefropatia do cilindro; achados em imunofluorescência sugestivos de doença por deposição monoclonal de imunoglobulina; coloração vermelho Congo negativa; CD138, CD20 e lambda positivos em plasmócitos infiltrando o compartimento intersticial. Após 04 meses, segue em acompanhamento em uso de ciclofosfamida e dexametasona e com Cr 1,38 mg/dL; U 35 mg/dL; EFPS sem picos monoclonais; albumina de 3,0 g/dL; relação p/c em amostra urinária de 0,79 g/g.

Discussão e Conclusões

As principais manifestações renais do MM por cadeia leve são a injúria tubular proximal e a nefropatia por cilindro. Uma causa rara IR aguda é a infiltração do parênquima renal, sendo mais comum em relatos de doença avançada. Ela decorre da combinação da compressão dos túbulos e da microvasculatura. O tratamento consiste em quimioterapia específica associado a terapia de suporte. A biópsia ajuda a definir o grau de atividade e cronicidade, podendo influenciar no quão agressiva a terapia deve ser e eventual prognóstico. No caso em questão, a biópsia, além de mostrar o acometimento diferenciado, ajudou-nos a manter com a linha de tratamento padrão.

Palavras Chave

mieloma múltiplo; infiltração do parênquima renal

Área

Doenças do Glomérulo

Instituições

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) - Sao Paulo - Brasil

Autores

Pablo Andrade Vale, Jeison de Oliveira Gois, Luiz Villanova e Affonso, Fábio Morbin Torres, Lívia Barreira Cavalcante, Lectícia Barbosa Jorge, Cristiane Dias Bitencourt, Luís Yu, Viktoria Woronik