Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SARCOPENIA E PRODUTOS FINAIS DA GLICAÇAO AVANÇADA (AGES) EM PACIENTES EM DIALISE PERITONEAL

Introdução

A sarcopenia está relacionada à mortalidade em pacientes com doença renal crônica (DRC). O papel dos produtos finais da glicação avançada (AGEs) na sarcopenia e na calcificação vascular não é totalmente compreendido. Acredita-se que a diálise peritoneal (DP) resulte em uma maior exposição do paciente à glicose e aos AGEs e, portanto, gere influência no tecido muscular resultando em sarcopenia. Recentemente foi desenvolvida uma técnica não invasiva para avaliar a deposição tecidual de AGEs através da autofluorescência da pele (AGEs-AF) (AGE-Reader™). Nosso objetivo foi quantificar o acúmulo de AGEs-AF em pacientes em DP e estabelecer relações com parâmetros de sarcopenia e calcificação coronariana.

Material e Método

Estudo observacional, transversal, em pacientes com DRC em DP. Dados clínicos, laboratoriais, de forma e qualidade muscular foram descritos e comparados com AGEs-AF por meio do teste t Student ou Mann-Whitney, e correlacionados através de Pearson ou Spearman. A força muscular foi avaliada pelos testes de força de preensão palmar, velocidade da marcha (TVM) e levantar-caminhar-sentar (TLCS). Realizamos elastografia de músculos de mmii por USG e TC de coronária para avaliação do escore de cálcio (CAC). O valor de p<0,05 foi considerado significativo.

Resultados

27 pacientes , idade 48±16 anos, 14 (52%) feminino, 3 (11%) diabéticos, em DP há 27±17 meses, com IMC 27±6 kg/m2 apresentaram AGEs-AF=3,1±0,6 UA, sendo 13 (87%) acima do valor estimado para a idade, e nível de força de preensão palmar de 26±9 Kg, sendo 11 (42%) abaixo do valor estimado. O TVM foi 1,04±0,3 m/s e de TLCS de 10,5±2 segundos. Houve uma correlação negativa entre AGES-sAF e elastografia do músculo reto-femural (R=-0,74; p=0.02), músculo tibial-anterior (R=-0,68 p=0,04), e positiva com o escore CAC (R=0,64; p=0,4). O escore de CAC correlacionou-se negativamente com a densidade do músculo psoas (R=-0,57; p=0,01) e quadrado lombar (R=-0,63; p=0,005). A elastografia do músculo reto-femural correlacionou-se a carga cumulativa de glicose (R=-0,6; p=0,02) e tempo em DP (-0,55; p=0,04); a concentração de Hb glicada correlacionou-se com a densidade do músculo psoas (R=-0,58; p=0,4).

Discussão e Conclusões

Detectou-se uma relação inversa entre acúmulo de AGEs a menor elasticidade/menor densidade do tecido muscular, sugerindo uma relação entre AGEs e sarcopenia; da mesma forma o acúmulo de AGEs foi associado a maior escore CAC. O tempo em DP e a maior exposição cumulativa a glicose se mostraram relacionados a menor elasticidade muscular.

Palavras Chave

Sarcopenia; Produtos finais da glicosilação avançada; Doença renal crônica

Área

Doença Renal Crônica

Instituições

Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP - Sao Paulo - Brasil

Autores

Anna Beatriz Araújo, Laís de Faria Fonseca, Cinthia Esbrile Moraes Carbonara, Kelcia Rosana da Silva Quadros, Noemi Angélica Vieira Roza, Rafael Sano, Sérgio San Juan Dertkigil, Rodrigo Bueno de Oliveira