Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ASSOCIAÇAO ENTRE ANGULO DE FASE E CAPACIDADE FUNCIONAL EM PACIENTES EM DIALISE PERITONEAL

Introdução

Pacientes com doença renal crônica (DRC) podem ser acometidos por alterações negativas na massa e função muscular, que afetam o estado clínico e nutricional, e consequentemente, qualidade de vida e capacidade funcional, aumentando o risco de hospitalização e óbito. O ângulo de fase (AF) é um marcador que vem ganhando destaque na avaliação nutricional, pois reflete o estado nutricional e está associado à massa e função muscular. Menores valores de AF se associam a piores desfechos em pacientes em diálise, como aumento do risco de mortalidade. Desempenho e capacidade funcional são aspectos que quando diminuídos, reduzem a qualidade de vida dos individuos e, consequentemente, podem aumentar o risco de mortalidade. Com isso, o objetivo deste trabalho foi avaliar a associação entre essas avaliações em pacientes com DRC em DP.

Material e Método

Estudo com pacientes adultos prevalentes em DP, no qual foi realizada avaliação do AF por meio de bioimpedância elétrica unifrequencial e avaliação da capacidade funcional por meio do questionário Short Physical Performance Battery (SPPB). Na análise estatística, utilizou-se o teste de Kolmogorov-Smirnov, correlação de Spearman e regressão Linear Múltipla. O nível de significância adotado foi p<0,05.

Resultados

Foram incluídos 50 pacientes em DP, 52% mulheres, média de idade 55,74±16,2 anos, tempo mediano de terapia de 9,5 (5-18) meses, IMC de 26±4,5 kg/m² e AF 6,06±0,96. Em relação ao SPPB, 48% da amostra apresentou alto desempenho, 46% desempenho intermediário e 6% baixo desempenho. Foi observada uma correlação entre AF e SPPB (r=0,481, p=0,000) e avaliando os testes que compõem o SPPB, a velocidade de marcha (VM) apresentou correlação moderada com o AF (r=0,479, p<0,001) e os testes de equilíbrio e de sentar e levantar apresentaram fraca correlação com o AF (r=0,294, p=0,038; r=0,374, p=0,007, respectivamente). No Modelo de Regressão, as variáveis equilíbrio (OR=0,333, IC 0,548-0,2793, p=0,007) e VM (OR=0,492, IC 0,247-0,803, p=0,000) foram associadas com o AF, sendo o coeficiente de determinação final de R²=0,379, representando 38% da variabilidade do AF.

Discussão e Conclusões

O SPPB apresentou correlação com o AF, sendo que as variáveis VM e teste de equilíbrio foram associadas com o AF, com maior impacto da VM.

Palavras Chave

nutrição, diálise peritoneal, capacidade funcional, ângulo de fase

Área

Multiprofissional: Nutrição

Instituições

Universidade Estadual Paulista - UNESP - Sao Paulo - Brasil

Autores

Maryanne Zilli Canedo Silva, Bárbara Perez Vogt, Nayrana Soares do Carmo Reis, Jacqueline Costa Teixeira Caramori