Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CARACTERISTICAS CLINICAS E DESFECHOS DA INFECÇAO POR TUBERCULOSE EM RECEPTORES DE TRANSPLANTE RENAL

Introdução

Esse estudo objetivou avaliar as características demográficas, clínicas e os desfechos da infecção por tuberculose (TB) após o transplante renal.

Material e Método

Estudo de coorte retrospectiva, incluindo receptores de transplante renal de um único centro de transplantes localizado no Nordeste do País. Foram considerados os diagnósticos realizados de 2004 a 2018 (n=33).

Resultados

Os pacientes da coorte eram predominantemente homens (54,5%), adultos jovens (39,8 ± 12,3 anos), eutróficos (IMC =22,2 ± 12,3kg/m2), pardos (66,7%), portadores de DRC de etiologia indeterminada (33,3%), com mediana de 29,75 meses de transplante. 9 fizeram tratamento para TB latente (LTBI) em virtude de PPD ≥ 5mm (100%). O regime imunossupressor principal foi indução com globulina anti-timócito (48,4%) e a associação de inibidor de calcineurina com micofenolato (72,7%%). O sintoma inicial mais frequente foi febre (63,6%), seguido da perda ponderal (21,2%) e tosse (21,2%). 25 pacientes tiveram TB localizada (pulmão=15, peritoneal=2, ganglionar=2, meníngea=2, pleural=1, intestinal=1, renal=1), 5 tiveram formas disseminadas (pulmão+intestinal=1, pulmão+ganglionar=1, pulmão+menígea=1, pericárdica+ganglionar=1, pulmonar+urinária=1) e 3 pacientes receberam tratamento empírico sem definição de sítio. Todos foram submetidos ao tratamento com rifampicina, isoniazida e piridoxina, com ou sem etambutol. O tempo médio de tratamento foi de 8,4 ± 3,8 meses. 7 pacientes apresentaram hepatotoxicidade e 2 apresentaram neuropatia periférica. A concentração de tacrolimo reduziu de 5,42 ± 1,90 ng/dL pré tratamento para 1,62 ± 0,60ng/dL pós tratamento (menor concentração), sendo a dose aumentada em 75,5% durante o tratamento. 12 pacientes apresentaram suspensão parcial/completa da imunossupressão durante o tratamento. 78,7% dos pacientes evoluíram com lesão renal aguda, sendo 15 KDIGO 1, 8 KDIGO 2 e 3 KDIGO 3, cuja principal causa foi IRA pré-renal. 3 pacientes morreram no curso da doença ou em curso do tratamento.

Discussão e Conclusões

A TB aconteceu tardiamente no curso do transplante, e febre foi o principal sintoma inicial. Houve um elevado percentual de formas extrapulmonares. Como reportado em estudos prévios, o tratamento empírico é uma realidade no contexto do transplante. O tratamento se associou à redução da concentração do inibidor de calcineurina por provável interação com a rifampicina. Foi elevado o percentual de disfunção aguda do enxerto renal.

Palavras Chave

Tuberculose; Transplante Renal

Área

Transplante

Instituições

Universidade de Fortaleza - Ceara - Brasil, Universidade Federal do Ceará - Ceara - Brasil

Autores

Sávio de Oliveira Brilhante, Guilherme Aguiar Forte, Matheus de Sá Roriz Parente, Alvaro Rolim Guimaraes, Silvana Daher Costa, Geraldo Bezerra Silva Junior, Elizabeth de Francesco Daher, Tainá Veras Sandes-Freitas, Ronaldo de Matos Esmeraldo