Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

BIOPSIA RENAL PERCUTANEA EM PACIENTES OBESOS: ACHADOS HISTOLOGICOS E COMPLICACOES.

Introdução

A obesidade, definida como Índice de Massa Corpórea (IMC) > 30 Kg/m², é uma epidemia mundial. IMC>30Kg/m² um fator de risco independente para Doença Renal Crônica e proteinúria. Existem poucos estudos sobre biópsia renal em pacientes obesos. O objetivo do estudo é a avaliação dos resultados das biópsias renais e suas complicações nesta população comparado à casuística geral.

Material e Método

Este é um estudo de coorte retrospectiva de biópsias de rim nativo realizadas entre Janeiro/2009 e Dezembro/2018 em um centro universitário terciário. Os dados clínicos e laboratoriais foram coletados no momento da realização do procedimento. Foram analisados a indicação da biópsia, qualidade da amostra, complicações do procedimento e diagnósticos histológicos encontrados, comparando o Grupo de Pacientes Obesos (GPO) e o Grupo da Casuística Geral (GCG) do serviço no mesmo período.

Resultados

Foram realizadas 171 biópsias no GPO, com IMC médio de 33,1±2,8 Kg/m². Quando comparados ao GCG encontramos maior número de mulheres (68% x 60%, p=0,038) e maior idade (45,3±14,4 x 40,7±16,2, p<0,001). A representatividade das amostras coletadas no GPO (17,37±9,1 glomérulos para microscopia óptica e 11±8,06 glomérulos para imunofluorescência) não diferiu do GCG, porém foram necessários mais disparos no GPO (3,21±0,7 x 3,09±0,69, p=0,025). Apesar disso, não houve diferença estatisticamente significante na incidência de complicações como hematúria (6,4% x 4,5%), hematoma sintomático (2,9% x 2%) e complicação maior, definido por arteriografia e/ou transfusão de hemácias (2,9% x 2%). As principais indicações de biópsia no GPO foram 40,35% Síndrome Nefrótica (n=69) ; 31% alteração urinária como hematúria e/ou proteinúria subnefrótica (n=53) ; 17,5% pacientes lúpicos com alteração em exame de urina (n=30) e 7,6% Síndrome Nefrítica ou Glomerulonefrite Rapidamente Progressiva (n=13). Os diagnósticos histológicos mais prevalentes no GPO foram 25,7% Microangiopatia Trombótica (n=44) ; 24,6% Nefrite Lúpica (n=42) ; 19,3% Glomeruloesclerose Segmentar e Focal (n=33) ; 11,7% Glomerulopatia Membranosa (n=20) ; 7,6% Nefropatia Diabética (n=13) ; 7,6% Nefropatia por IgA (n=13) ; 5,2% Arterioesclerose (n=9) ; 3,5% Glomerulonefrite Membranoproliferativa (n=6) e 2,9% Amiloidose (n=5).

Discussão e Conclusões

A biópsia em pacientes obesos se mostrou segura, factível e com boa representatividade glomerular na amostra. Houve uma grande diversidade de diagnósticos histológicos com potencial de impactar na conduta clínica, sem maiores complicações.

Palavras Chave

biópsia renal, glomerulopatia, obesidade

Área

Doenças do Glomérulo

Instituições

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FMUSP - Sao Paulo - Brasil

Autores

Guilherme Parise Santa Catharina, Igor Smolentzov, Precil Diego Miranda Menezes Neves, Cristiane Bitencourt Dias, Luis Yu, Viktoria Woronik, Roberto Zatz, Lecticia Barbosa Jorge