Fernanda Prestes Eventos
11 5084 4246 - 5081 7028 janice@fernandapresteseventos.com.br
41º SIMASP 2018

41º SIMASP 2018

Maksoud Plaza Hotel - Al. Campinas, 150 - São Paulo /SP | 28 de Fevereiro a 03 de Março de 2018

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CORREÇAO DE ESTRABISMO INCOMITANTE POR CIRURGIA DE RECUO-RESSECÇAO COMBINADAS DO MESMO MUSCULO RETO: RELATO DE CASO

Introdução

O tratamento cirúrgico dos estrabismos incomitantes permanece sendo um desafio para os especialistas. As principais causas de desvios horizontais incomitantes são as parecias musculares, restrições oculares, divergência horizontal dissociada, relação convergência acomodativa/acomodação (CA/A) alta ou cirurgias prévias (1). Poucas técnicas cirúrgicas foram propostas para a correção de tal, e, eventualmente, os resultados são insatisfatórios – apresentando hipocorreção ipslateral ao músculo previamente afetado e hipercorreção no campo contralateral. (2) O objetivo do presente estudo é relatar o caso de um paciente de 38 anos previamente operado por causa de uma paresia de IV nervo craniano, e que atualmente apresenta diplopia apenas no momento da leitura em infraversão. Ele foi submetido à cirurgia de correção de estrabismo incomitante através da técnica de recuo e ressecção do mesmo músculo extraocular.

Métodos

As informações contidas neste trabalho foram obtidas por meio de revisão de prontuário do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho e através de registro fotográfico realizados durante elucidação do caso.

Resultados

Paciente 38 anos, com paresia de IV nervo craniano esquerdo em 2013 submetido à reefing de 7 mm do músculo oblíquo superior esquerdo em 01/04/2014 evoluindo bem. Após dois anos passou a apresentar diplopia no olhar para baixo, comprometendo a leitura. Paciente foi então submetido à recuo de 7 mm e ressecção de 5 mm do músculo reto inferior direito com sutura escleral em rédea. Evoluiu no pós-operatório com melhora da queixa de diplopia em infraversão, melhorando a qualidade da leitura e sem descompensação do alinhamento ocular na posição primária do olhar. (Figura 2)

Conclusões

A cirurgia com uso da técnica de recuo e ressecção do mesmo músculo proposta inicialmente por Scott vem se concretizando como uma alternativa segura para casos de estrabismo incomitante, horizontal e vertical. Ela visa enfraquecer o músculo em seu campo de ação sem que haja alteração signifitiva na posição primária do olhar. (5) O paciente submetido a este procedimento possuía dificuldade para leitura pois a diplopia ocorria apenas em infraversão, sem queixas em outras posições. Foi feita a opção pela técnica modificada por Bock et al, realizando um recuo maior que a ressecção do reto inferior, baseado nos dados encontrados na literatura seguindo essas medidas. (6) Apesar de

Palavras Chave

Esotropia/cirurgia; Movimentos oculares; Músculos oculomotores/cirurgia; Procedimentos cirúrgicos oftalmológicos; Relatos de casos [tipo de publicação]

Área

MISCELÂNEA

Instituições

Universidade Federal do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Laís Sousa Porto, Laís Sousa Porto, Guilherme Macedo Souza, Isabel Silveira Dias Garcia, Nabila Terra Demachki, Karolyna Andrade de Carvalho, Elisa Silvano de Paula Benjamin