Fernanda Prestes Eventos
11 5084 4246 - 5081 7028 janice@fernandapresteseventos.com.br
41º SIMASP 2018

41º SIMASP 2018

Maksoud Plaza Hotel - Al. Campinas, 150 - São Paulo /SP | 28 de Fevereiro a 03 de Março de 2018

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

AVALIAÇAO DA ESPESSURA DA COROIDE SUBFOVEAL EM PACIENTES COM ALBINISMO OCULOCUTANEO

Introdução

A coróide tem quantidade de melanócitos (células portadoras de melanina) reduzida ou ausente nos portadores de albinismo oculocutâneo (OCA), mas não há estudos comprovando que o mesmo acarrete em alguma alteração coroideia, portanto o estudo da coróide destes indivíduos é necessário.
Objetivo deste estudo foi avaliar a espessura da coróide (EC) subfoveal de portadores de OCA por meio de Tomografia de Coerência Óptica (OCT) com sistema Eye Tracker e comparar com pacientes sem alterações oculares. Além disso, correlacionar a EC com as alterações oftalmológicas no OCA: acuidade visual (AV) equivalente esférico (EE), espessura macular e grau de transparência da íris e retina.

Métodos

Estudo observacional, prospectivo e analítico de 112 olhos divididos em dois grupos: 60 olhos com OCA com idade média de 33 anos (±15,84); e 52 olhos de pacientes sem alterações oculares com idade média de 30 anos (±11,69).
Imagens obtidas por meio do OCT Angiography Avanti XR com sistema de rastreamento RTVue®. no modo Retina Map, o qual apresentou melhor qualidade de imagem. Foram capturadas três imagens de cada olho para avaliação, com 10 medidas de EC em cada imagens (5 medidas no corte vertical e horizontal) com intervalo de 500μm entre elas, no total 3.360 medidas. As 3 medidas centrais foram utilizadas para análise. Os exames foram realizados pela manhã, para evitar a variação circadianda da coróide, e analisados por um único examinador.
Todas as análises foram realizadas com o programa estatístico SPSS v.20.0, adotando-se nível de significância de 5% para todas as análises. A análise da correlação entre as variáveis foi realizada através da correlação não paramétrica de Spearman.

Resultados

A EC do grupo de estudo teve uma média de 219,87μm com erro padrão de 12,74 (p<0.001), enquanto o grupo controle apresentou média de 275,97μm com erro padrão de 9.05 (p<0.001), logo a EC no grupo de estudo foi, em média, 56,1μm menor do que o controle, com intervalos de confiança distintos. As variáveis que apresentaram associação com a EC e com significância estatística foram: idade (-0.257 e p <0.05), EE (0.33 e p <0.05), espessura macular (0.318 e p <0.05) e transparência da retina (-0.415 e p <0,001).

Conclusões

Este estudo demonstrou com significância estatística que a EC em pacientes com albinismo oculocutâneo é mais fina do que em indivíduos sem alterações oculares e foi constatada correlação significativa positiva com o EE e espessura macular e negativa com idade e grau de pigmentação da retina.

Palavras Chave

Espessura de coróide, albinismo, OCT, Eye Tracker.

Área

RETINA

Instituições

Santa Casa de Misericórdia de São Paulo - Sao Paulo - Brasil

Autores

Marco Otavio Santos Almeida, Roberta Pereira Almeida Manzano, Ronaldo Yuiti Sano