Fernanda Prestes Eventos
11 5084 4246 - 5081 7028 janice@fernandapresteseventos.com.br
41º SIMASP 2018

41º SIMASP 2018

Maksoud Plaza Hotel - Al. Campinas, 150 - São Paulo /SP | 28 de Fevereiro a 03 de Março de 2018

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESTUDO DOS VALORES NORMATIVOS DAS AMPLITUDES FUSIONAIS DE CONVERGENCIA E DIVERGENCIA OCULARES

Introdução

Este estudo tem como objetivo determinar valores normativos para o comportamento oculomotor das amplitudes fusionais de convergência e de divergência, para atividades realizadas longe, em 5 metros, e perto, em 33 centímetros, tema de grande relevância prática no que concerne à avaliação da visão binocular humana. Os valores de referência das amplitudes fusionais tornaram-se motivo de discussão nos últimos anos, especialmente pela escassez de pesquisas científicas atualizadas e por considerarmos que os estímulos visuais, especialmente na visão para perto, tornaram-se mais precoces nas últimas gerações devido ao uso abusivo de eletrônicos.

Métodos

Selecionados 35 pacientes, 24 sexo feminino e 11 sexo masculino, com idades de 04 à 39 anos, média simples de 14,83 anos. Incluídos os assintomáticos; acuidade visual normal AO (P e L), com correção de até 1.50DE e/ou 1.00DC; ortofóricos ou valores fisiológicos de forias; ausência de hiper ou hipofunções nos músculos extrínsecos oculares; PPC normal; acuidade estereoscópica 40’’ de arco; amplitudes fusionais de convergência e divergência, P e L, com sequência aleatória simples, com barra de prismas e nas distâncias de 33cm para perto e 5m para longe. Foram avaliados em consultório equipado para avaliação ortóptica, após avaliação oftalmológica e prescrição dos óculos se necessário, seguindo a seguinte ordem de exame: Anamnese; AV perto e longe; Verificação do posicionamento binocular em PPO e nas posições diagnósticas; Rotações binoculares; PPC com figura acomodativa; Acuidade estereocópica com Titmus; Amplitudes fusionais P e L (33cm e 5m), de convergência e de divergência utilizando a barra de prismas, com sequência aleatória simples e nunca ultrapassando os valores máximos estabelecidos de convergência L 25∆ e P 45∆; de divergência L 8∆ e P 14∆.

Resultados

Os pacientes avaliados conseguiram chegar aos valores normais propostos: 1.Convergência para perto 45∆ tendo 52,77% dos pacientes sem quebra da fusão até este valor e os demais tendo a média da refusão em 43,13∆; 2.Divergência para perto 14∆ tendo 66,66% dos pacientes sem quebra da fusão até este valor e os demais tendo a média da refusão em 13,64∆; 3.Convergência para longe 25∆ tendo 44,44% dos pacientes sem quebra da fusão até este valor e os demais tendo a média da refusão em 21,58∆; 4.Divergência para longe 8∆ tendo todos os pacientes quebrado a fusão neste valor e obtendo a média de refusão em 6,34∆.

Conclusões

Foram determinados os valores normativos das amplitudes fusionais.

Palavras Chave

amplitude fusional;valores normativos convergência; valores normativos divergência, ortóptica

Área

MISCELÂNEA

Instituições

COP Centro Oftalmológico Pacaembu - Sao Paulo - Brasil

Autores

Andrea Pulchinelli Ferrari, Marcelo Fernandes Costa