Fernanda Prestes Eventos
11 5084 4246 - 5081 7028 janice@fernandapresteseventos.com.br
41º SIMASP 2018

41º SIMASP 2018

Maksoud Plaza Hotel - Al. Campinas, 150 - São Paulo /SP | 28 de Fevereiro a 03 de Março de 2018

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

LINFOMA B DE ALTO GRAU - UM RELATO DE CASO

Introdução

O linfoma orbital refere-se a um linfoma que ocorre na conjuntiva, glândula lacrimal, pálpebras e musculatura ocular. O linfoma não-Hodgkin primário (LNH) da órbita é uma apresentação rara, representando 8 a 10% dos LNH extranodais e apenas 1% de todas os LNH. Geralmente, tem um curso indolente e apenas 16% têm alta grau histológico. O objetivo deste trabalho é descrever um caso de linfoma difuso de células B da órbita com alto grau histológico com evolução de 4 meses.

Métodos

Relato de um caso clínico de um paciente acompanhado no setor de órbita da Santa Casa de São Paulo.

Resultados

Paciente feminina, 71 anos, queixa de tumoração em pálpebra superior OD há 4 meses, de crescimento rápido, associado a prurido e baixa acuidade visual OD. Apresentava ao exame ocular tumoração endurecida em região de pálpebra superior OD aderida a planos e ptose em OD. Motilidade ocular extrisenca com restrição de elevação (-4) e adução (-2) OD. Reflexos vermelho, fotomotor e consensual: reduzidos AO. AVCC: 0,5 e 1,0. À biomicroscopia: hiperemia região de orbita OD, hiperemia conjuntival OD, presença de salmon patch, sem outras alterações. Diante do quadro foi solicitada TC de crânio apresentando lesão nodular sólida, ocupando a porção superior e medial da gordura intraconal da órbita, moldando as estruturas oculares. Foi realizada biópsia incisional da lesão, sem intercorrências. Ao anátomo patológico: neoplasia imatura pouco diferencia de células pequenas, de núcleo hipercorado, com moderado à acentuado pleomorfismo, infiltrativa em tecidos conjuntivo e adiposo. À imunohistoquímica: CD 45, 20, 10: positivos; BCL 2, 6: positivos; CD 5: focalmente positivo; KI67: positivo em cerca de 95% da neoplasia. Perfil imunohistoquímico associado ao quadro histológico compatível com linfoma B de alto grau. Paciente encaminhada à Hematologia para tratamento. Segue em acompanhamento no setor de Órbita da Santa Casa de São Paulo.

Conclusões

O linfoma difuso de células B é um dos subtipos histológicos do linfoma e é conhecido por ser agressivo em comportamento, mas responsivo ao tratamento. Diante de um quadro sugestivo de linfoma de orbita, a realização de biópsia para confirmação diagnóstica e imunohistoquímica é essencial para o tratamento adequado. Por se tratar de um linfoma agressivo de órbita, o encaminhamento para hematologia deve ser realizado o mais precoce possível. Nos estágios iniciais o tratamento de eleição é a radioterapia (RT), enquanto que nos avançados a opção é a quimioterapia, podendo associar RT.

Palavras Chave

Linfoma B de Alto Grau, imunohistoquímica.

Área

MISCELÂNEA

Instituições

Santa Casa de São Paulo - Sao Paulo - Brasil

Autores

Obidulho Sakassegawa Naves, Alyne Zogbi Simão, Natasha Ferreira Santos da Cruz, Ana Clara Vieira de Castro, Jose Vital Filho