Fernanda Prestes Eventos
11 5084 4246 - 5081 7028 janice@fernandapresteseventos.com.br
41º SIMASP 2018

41º SIMASP 2018

Maksoud Plaza Hotel - Al. Campinas, 150 - São Paulo /SP | 28 de Fevereiro a 03 de Março de 2018

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CISTO EPIDERMÓIDE SUPERFICIAL EM REGIÃO PERIORBITÁRIA: UM RELATO DE CASO

Introdução

O Cisto Epidermóide é a lesão cística mais comum da órbita. O objetivo do presente trabalho é trazer um relato de caso e discutir suas características clinicas, histopatológicas bem como seu principal diagnóstico diferencial.

Métodos

Revisão da literatura nas bases de dados PubMed e SCIELO, consulta em livros-texto de oftalmologia nos últimos 10 anos utilizando os descritores “cisto dermóide” e “cisto epidermóide”.

Resultados

O Cisto Epidermóide Superficial é uma afecção que atinge principalmente crianças, como um nódulo indolor mais comumente localizado na porção superotemporal da órbita. Seus principais sinais incluem uma massa dura, firme, arredondada, lisa de 1-2cm de diâmetro, que é livremente móvel sob a pele, mas geralmente unida ao periósteo adjacente. As margens posteriores são facilmente palpáveis, denotando ausência de origem profunda ou extensão. O tratamento é feito por excisão completa da lesão, tendo o cuidado de não romper a lesão, visto que o vazamento de queratina para os tecidos adjacentes resulta em grave inflamacão granulomatosa.
Relato de Caso: MDV, 12 anos, queixa-se de encômodo esteticamente em região palpebral. Mãe relata que o filho apresentava este cisto desde os 3 anos de idade, de crescimento progressivo. Ao exame, o nódulo se apresenta indolor, palpável e com bordos regulares. Foram solicitados TC e biópsia excisional.
A TC axial evidenciou lesão heterogênia bem definida em região temporal superior orbitária. Foi realizado exérese de lesão sem intercorrências.

Conclusões

O Cisto epidérmico, frequentemente encontrado no tecido subcutâneo, constitui uma entidade clínica bastante comum e de fácil resolução, apesar de necessitar de uma conduta cirúrgica e cautelosa, pois qualquer extravasamento do seu conteúdo na ferida cirúrgica pode tornar o processo recidivante e provocar uma reação granulomatosa na região.
Após exérese do cisto, foi observado que em seu interior foi identificado apenas queratina, reafirmando o diagnóstico de Cisto Epidermóide, que diferencia-se do Cisto Dermóide pelos seus conteúdos internos, tais como folículos pilosos, glândulas sebáceas e sudoríporas.

Palavras Chave

Cisto Epidermóide

Área

PLÁSTICA

Instituições

Fundação Hilton Rocha - Minas Gerais - Brasil

Autores

Vitor Martins Manteufel , Larissa Soares Bianchi , Yann Correia Cunha , Luis Felipe Ramalho Brasil , Rafaella Almeida Piccinini, Nayara Pereira Peixoto