Fernanda Prestes Eventos
11 5084 4246 - 5081 7028 janice@fernandapresteseventos.com.br
41º SIMASP 2018

41º SIMASP 2018

Maksoud Plaza Hotel - Al. Campinas, 150 - São Paulo /SP | 28 de Fevereiro a 03 de Março de 2018

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

INTERAÇAO ENTRE O MIR-320A E MIR-342-3P E O GENE ALVO MRFAP1 NA PATOGENESE DA RETINOPATIA DIABETICA

Introdução

Novos métodos de diagnóstico e acompanhamento da Retinopatia Diabética (RD) tem sido pesquisados através de análises de partículas não-codificadoras responsáveis pela modulação e expressão de genes específicos, os microRNAs (ZAMPETAKI, 2016). Estes possuem cerca de 18 a 25 nucleotídeos e estão envolvidos na regulação pós-transcricional do RNA, tanto em estados fisiológicos como em estados patológicos. As ferramentas de bioinformática podem ser utilizadas para compreensão das interações gênicas entre os MicroRNAs e a RD.

Métodos

Foram analisadas amostras de sangue periférico de 29 indivíduos, sendo 11 amostras de pacientes não-diabéticos e sem RD (grupo controle); 6 pacientes diabéticos sem RD e 12 pacientes diabéticos com RD. Foram colhidas amostras de sangue periférico na CENOE (Clínica de Olhos Especializada). Foram avaliadas pelo método de qPCR, a expressão dos MiR-320a e MiR-342-3p . Posteriormente, foi realizada a análise de predição de genes alvo por meio dos programas miRDB e Cytoscape, no qual foram analisados os genes alvos em comum aos microRNAs estudados.

Resultados

Observou-se expressão do MiR-320 3 vezes maior nos paciente com RD em comparação ao grupo controle e 2 vezes maior em pacientes com RD quando comparados aos paciente diabéticos e sem RD. Quanto ao MiR-342-3p, foi encontrado uma expressão 2 vezes maior entre os pacientes com RD, em relação aos demais grupos. Após analise nos programas de bioinformática, encontrou-se 6 genes alvos em comum, dentre eles MRFAP1, que encontra-se reduzido na superexpressão dos MicroRNAs.

Conclusões

Identificamos a expressão diminuída do gene MRFAP1 nos pacientes com RD. Este gene codifica uma proteína que se liga a uma série de ligases de ubiquitina E3, que desempenha um papel importante na homeostase das proteínas. O sistema de ubiquitina (UPS) desempenha um papel importante na remoção das alterações nas proteínas e na prevenção de acumulação de proteínas não funcionais e nocivas aos neurônio. A regulação da qualidade das proteínas e sua homeostase nas células da retina são críticas para a manutenção da função visual, que é principalmente mediada pela UPS (SHRUTHI; REDDY; REDDY, 2017). A expressão reduzida do gene MRFAP1 pode estar envolvida no aumento do estresse oxidativo, neurodegeneração e apoptose celular da retina, eventos intrínsecos à patogênese da RD.

Palavras Chave

Retinopatia diabética; microRNA; gene-alvos

Área

RETINA

Instituições

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - Bahia - Brasil

Autores

Marcelle Sanjuan, Mirthz Lemos de Jesus, Jadson Santos Nascimento, Antônio Nogueira, Carla Martins Kaneto