Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

OBSTRUÇAO ANTRO-PILORO-BULBAR POR ULCERA PEPTICA

INTRODUÇÃO

A obstrução antro-piloro-bulbar tornou-se a complicação mais rara decorrente de úlcera péptica, desde o surgimento dos inibidores da bomba de prótons (IBPs). O tratamento inicial consiste em uma abordagem clínica ou endoscópica e, em casos refratários, cirurgia. Este relato visa apresentar um caso de obstrução antro-piloro-bulbar, onde foi necessária a intervenção cirúrgica, com gastrectomia parcial e jejunoanastomose em Y de Roux.

RELATO DE CASO

C.S.O, masculino, 48 anos de idade, admitido na emergência, relata epigastralgia, múltiplos episódios de vômitos pós-prandiais e hematêmese há 11 meses, com perda ponderal de 16kg no período.
Ao exame físico apresentava-se em regular estado geral, emagrecido, hipocorado, eucárdico, eupneico e normotenso. Abdômen flácido, indolor à palpação, sem demais alterações.
Solicitado endoscopia digestiva alta, evidenciando pangastrite moderada enantemática erosiva de antro, lesão ulcerada em antro (A1 de Sakita), piloro deformado, úlcera duodenal com intenso processo inflamatório e redução do lúmen. Foi coletada biópsia e passada sonda naso-enteral (SNE), com posicionamento pós-pilórico. A patologia descartou a presença de H.pylori e processo neoplásico.
Iniciou-se tratamento clínico, porém, houve piora do quadro e saída da SNE, o que indicou tratamento cirúrgico.
O acesso à cavidade abdominal evidenciou: estômago aumentado de tamanho com estenose importante em região pilórica. Foi feita a ressecção da região antral do estômago e fechamento em 2 planos, deixando terço distal para confecção da gastrojejunoanastomose. Identificado angulo de Treitz e realizado enterotomia há 60 cm do ângulo. Fechamento em dois plano de abertura de alça aferente de jejuno. Anastomose em um plano entero-entero latero lateral com alça eferente. Confecção do Y de Roux, sem intercorrências.
Paciente permaneceu na enfermaria, com melhora clínica e recebeu alta em 7 dias.

DISCUSSÃO

A obstrução é a complicação menos comum da úlcera péptica, representando cerca de 1 a 2% dos casos. O sangramento ocorre em cerca de 15%, seguido da perfuração em 7% dos pacientes. O processo ocorre devido à inflamação, edema e cicatrização das úlceras na região peripilórica. Os sinais e sintomas dependem da porção da luz intestinal obstruída e consistem em vômitos recorrentes com restos alimentares, perda ponderal e dor abdominal.
O tratamento inicial deve ser conservador, com IBPs em altas doses ou intervenção endoscópica, com dilatação por balão.
A terapia cirúrgica vem caindo em desuso e, quando necessária, opta-se por vagotomia seletiva, vagotomia com drenagem ou com antrectomia. Nesta última são realizadas a duodenoanastomose (Billrouth I) e a jejunoanastomose (Billrouth II). Quando há inflamação ou fibrose acentuada é preferível a utilização do Billrouth II. Estudos prospectivos, demonstraram que a antrectomia parcial com reconstrução em Y de Roux tem um resultado clínico, endoscópico e histopatológico superior às demais reanastomoses, por isso foi o procedimento escolhido.

Área

ESTÔMAGO E DUODENO

Instituições

Instituto Hospital de base - Distrito Federal - Brasil

Autores

Lucas Pereira Lima, Anna Carolina Erbesdobler de Souza, Iuri Fernando Coutinho e Silva