Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

HEMATOMA SUBCAPSULAR RENAL APOS URETEROSCOPIA E LITOTRIPSIA A LASER: RELATO DE CASO DA AMAZÔNIA OCIDENTAL

INTRODUÇÃO

Ureterolitotripsia transureteroscópica (URL) com uso de laser é um método efetivo e seguro no manejo da ureterolitíase. Com avanços na endourologia, o uso do laser tornou-se técnica de escolha, com ureteroscópios de pequeno calibre, semirrígidos e flexíveis, facilitando fragmentação da pedra com incidência de complicações inferiores a 0,1%. O hematoma perirenal (HPR) é complicação rara (0,15%), significativamente menor que outros tratamentos. Quadros de HPR pedem atenção, pois apesar de responderem de forma satisfatória ao tratamento conservador, possuem potencial de gravidade, podendo acarretar instabilidade hemodinâmica e perda de função renal. Descreve-se o sucesso no tratamento conservador do hematoma subcapsular renal (HSR) pós URL.

RELATO DE CASO

LSC, 60 anos, hipertensa controlada, admitida por dor lombar súbita a esquerda com 48 horas de evolução, associada à náusea e vômitos, sendo medicada e submetida à tomografia computadorizada de abdômen (TC-A) sem uso de contraste endovenoso (CE), evidenciando ureterolitíase obstrutiva (URO) em junção ureterovesical, com cálculo de 10mm gerando leve hidronefrose à esquerda. Ainda, fora evidenciado como achado incidental volumoso cisto renal à direita (CRD) em cálice superior, medindo 7 x 6,5cm, sem aparente comunicação com sistema coletor. Realizada ureteroscopia sem dilatação uretral previa, com irrigação continua por solução salina a 0,9% posicionada 80cm acima da paciente e pressurizada por manguito, com pressão continua de 150mmHg. Litíase localizada em terço distal de ureter, sendo realizada a litotripsia até restarem fragmentos de 1mm. Passado cateter duplo J 7F em ureter esquerdo, e realizada sondagem vesical de demora com silicone 16F. Durante procedimento a pressão arterial média manteve-se em 75mmHg. No quarto dia de PO foi realizada TC-A com CE para avaliação de CRD, sendo encontrado HSR à esquerda, com extensão de 2,8cm e sem evidencia de flush de contraste. Tratamento conservador foi instruído, visto que paciente mantinha-se estável.

DISCUSSÃO

A relevância deste explica-se na contribuição para quadro semelhantes, motivando a investigação de queixas no PO de URL, o diagnóstico do HSR e abordagem terapêutica individualizada. A URO provoca hidronefrose, gerando aumento da pressão intra-renal e obstrução das veias capsulares, sendo abruptamente interrompido após a ureterolitotripsia, promovendo recanalização ureteral e súbita expansão, com ruptura desses vasos, separação da cápsula do parênquima e formação do HSR. Há debate na literatura quanto a real taxa de incidência do HSR pós URL, visto que muitas queixas de lombalgia relatadas no PO são atribuídas a outras etiologias, como reação a cateter duplo J, não motivando investigação complementar. A maioria dos HSR apresentam resolução espontânea com tratamento conservador, porém a abordagem por punção ou cirúrgica pode ser necessária quando associada à sepse, comprometimento da função renal, instabilidade pressórica ou evidencia de flush de contraste à tomografia.

Área

UROLOGIA

Instituições

Universidade Federal de Rondônia - Rondonia - Brasil

Autores

Marcelo Regis Lima Corrêa, Olavo Matheus Batista Falqueti, Wilyan Dias Cosmo de Oliveira, Paulo Cézar Vasconcellos, José Edson Puerari Benevides, Daniel Carlos Viana Cardoso, Alessandro Prudente, Eliakim Massuqueto Andrade Gomes de Souza