Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

COMPLICAÇÕES NA ASSISTÊNCIA MÉDICA E CIRÚRGICA

OBJETIVO

Analisar o número de indivíduos internados por complicações decorrentes de intervenções médicas, correlacionando com os valores gastos nos serviços hospitalares prestados e com o número de evoluções para óbito no mesmo período.

MÉTODO

Estudo epidemiológico, retrospectivo, com abordagem quantitativa do número de internações por complicações na assistência médica e cirúrgica (correspondentes ao CID Y40

RESULTADOS

No período analisado, as complicações por assistência médica foram responsáveis por 734 internações, sendo o sexo masculino o de maior prevalência, equivalendo a 53,27% dos casos. O ano com maior número de internações foi 2016, apresentando 146 casos, seguido pelo ano de 2017, com 113 complicações. As faixas etárias apresentaram grandes variações de valores: a maior prevalência se deu entre os adultos com 20 a 29 anos, correspondendo a 14,30% dos casos, seguidos pelas faixas de 30 a 39 anos, com 13,35%, e 40 a 49 anos, apresentando 12,94% das complicações. De todas as internações, 15 evoluíram para óbito, o que corresponde a 2,04% de todos os casos, sendo 11 desses pacientes do sexo feminino. O gasto com serviços hospitalares prestados a esses pacientes durante o período foi de 1.373.584,60 reais, sendo que desse valor 773.052,22 reais foram direcionados para pacientes do sexo masculino, o que equivale a mais de 56 % do valor total.

CONCLUSÕES

As complicações na assistência médica e cirúrgica, como apresentadas, demonstram uma baixa prevalência de mortalidade, porém atingem principalmente a população considerada como adultos jovens, causando morbidade nessa faixa etária. Por se tratar da população economicamente ativa, existe um fator financeiro pela internação desses pacientes, pois isso pode influenciar no seu ganho salarial e ônus para o Estado. A busca pelas causas dessas complicações, como por exemplo a quebra da técnica cirúrgica durante o ato operatório ou o bom questionamento quanto as alergias a drogas conhecidas pelos pacientes poderiam vir a evitar novas internações dispendiosas e malefícios para os indivíduos acometidos.

Área

MISCELÂNEA

Instituições

Universidade de Gurupi - UnirG - Tocantins - Brasil

Autores

Bryam Simonsen de Oliveira, Ítalo Brito Salera, Caio Felipe Damasceno Tavares, Raquel Costa Batista de Queiroz, Fernanda Gomes Dal Pra Gradin, Rayana Vaz Manzi , Brenda Caroline da Silveira Dias, Celso Rocha da Silva