Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ADENOCARCINOMA DE COLON DIREITO: RELATO DE CASO

INTRODUÇÃO

As neoplasias colorretais são de grande importancia por serem a terceira causa de morte por câncer no Brasil. Sua estimativa de incidência a cada 100 mil homens foram de 27,1% e para mulheres de 21,6%, no estado de São Paulo e a mesma aumenta com a idade, principalmente a partir dos 60 anos.
A localização dos tumores tem relação com a sintomatologia que o paciente apresentará. O colón esquerdo é o local com mais acometido.
A colonoscopia com biópsia permite o diagnóstico de neoplasia de cólon e reto com maior sensibilidade do que exames radiológicos. Há baixo risco de complicações e sua acurácia varia de 90 a 95%.
O tratamento varia de acordo com o estadiamento da doença e o seguimento colônico acometido, sendo geralmente de conduta cirúrgica se ressacável.
OBJETIVO: Este relato de caso tem como objetivo alertar sobre a importância do rastreamento e diagnóstico em estágios iniciais de neoplasias de cólon e reto, em decorrência de seu grande impacto na saúde mundial.

RELATO DE CASO

46 anos, deu entrada no pronto-socorro de um hospital de São Paulo em meados de janeiro de 2019 com queixa de diarreia há uma semana, sem muco ou sangue. Negava queixas de náuseas, vômitos, dor abdominal e febre. Paciente sem comorbidades ou alergia, referindo apenas uso crônico de laxativos.
A colonoscopia, realizada posteriormente evidenciou uma lesão vegetante, bocelada, de limites imprecisos, friável, ocluindo totalmente o colón a 85 cm da borda anal (transverso). A tomografia (TC) de tórax, abdome e pelve realizadas para estadiamento, mostrou discreta opacidade homogênea subsegmentar basal direita, podendo ser considerada atelectasia. O cólon direito possuía espessamento mural sólido, nodular, com até 34 mm de espessura, com discreto aumento da gordura peritoneal adjacente. O marcador tumoral CEA era de 1,7. A biopsia posterior evidenciou adenocarcinoma.
Foi realizada hemicolectomia à direita com anastomose primaria ileotransversa com omentectomia parcial direita, sem intercorrências, com tempo anestésico de 3 horas. Ressecção não completa do tumor devido invasão localmente avançada para músculo psoas e grandes vasos. Paciente evoluiu com fístula anstomotica no sexto pós-operatório , de baixo debito, e orientada devido dreno alocado sendo optado então por tratamento conservador e introduzida nutrição parenteral total (NPT), com melhora clínica e resolução da fístula espontâneamente, sendo suspenso NPT e introduzida dieta liquida, com boa aceitação, sendo progredida até a alta hospitalar, com seguimento ambulatorial.

DISCUSSÃO

As neoplasias colorretais são responsáveis por um grande número de morbimortalidade no cenário oncológico atual. Devido sua possibilidade de cura quando recentemente descoberto, se faz necessário o screening para a população de maior risco. Aumentando portando sua chance de cura.

Área

PAREDE ABDOMINAL

Instituições

Hospital Heliópolis - Sao Paulo - Brasil

Autores

RODRIGO LEONARDO P CARVALHO BAHIA SAPUCAIA, PAULA TOLEDO ALMEIDA, ELAINE TAVORA MIRANDA, BRUNa L FERREIRA, MARIA JULIA P LEME, KARLA H P NATARIO, MARIA CAROLINA FERNANDES