Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

AVALIAÇÃO DA CULTURA DE SEGURANÇA NO CENTRO CIRÚRGICO.

OBJETIVO

A pesquisa tem como objetivo sintetizar e interpretar os principais dados coletados acerca da cultura de segurança no centro cirúrgico em hospitais escola do Brasil. Faz-se necessário o estudo para tentar compreender tamanha suscetibilidade à ocorrência de erros nos cuidados ao paciente cirúrgico, o que influencia diretamente no desfecho pós-operatório.

MÉTODO

Para a realização da Revisão de Literatura utilizou-se como questão norteadora “Qual a influência da cultura de segurança no centro cirúrgico?” Foram realizadas buscas nas bases de dados PUBMED, LILACS e Scielo, usando-se os descritores “Cultura de segurança”, “Segurança no Centro Cirúrgico”, “Safety Attitudes Questionnaire”, “Safety culture”, “Safety climate in the operation room” para textos disponíveis em português e inglês, publicados entre 2014 e 2018.

RESULTADOS

Utilizou-se como base de coleta de dados o Questionário de Atitudes de Segurança (SAQ), idealizado na Universidade do Texas (EUA) em 2006, amplamente utilizado em centros cirúrgicos por ser autoaplicável e recomendado pela Organização Mundial da Saúde para avaliação psicométrica da equipe. O questionário contempla seis itens: clima de trabalho em equipe, reconhecimento do estresse, clima de segurança, satisfação no trabalho, percepções de gestão e condições de trabalho. Todas as pesquisas analisadas revelaram que os itens “clima de trabalho em equipe” e “clima de segurança” apresentaram resultados insatisfatórios em relação ao esperado. Isso revela que as equipes multidisciplinares dos centros cirúrgicos se encontram desarticuladas em suas relações afetivas, devido, principalmente, à dificuldade de comunicação. No que se refere ao item “clima de segurança”, é percebido pelos profissionais que as responsabilidades em relação à segurança do paciente não são devidamente asseguradas, principalmente pela não-adesão das diretrizes de segurança e pela falta de troca de informações relevantes durante mudanças de turno. Além disso, destaca-se também que os itens “percepções de gestão” e “condições de trabalho” apresentam resultados insatisfatórios na maioria das pesquisas analisadas, devido respectivamente à percepção dos funcionários de que a administração hospitalar não reconhece seus esforços diários e à quantidade de empregados inadequada para que a segurança do paciente seja garantida.

CONCLUSÕES

O ambiente do centro cirúrgico é suscetível a erros e, portanto, requer clareza na comunicação e transparência nas ações dos profissionais envolvidos. É evidente a existência de fragilidade na cultura de segurança nos centros cirúrgicos brasileiros devido à má comunicação e coordenação dentro das equipes, bem como entre as equipes e os gestores. Faz-se necessária a análise da presente cultura, permitindo a antecipação e prevenção dos erros em relação aos quesitos citados, o que minimiza riscos peri-operatórios.

Área

ENSINO MÉDICO

Instituições

Universidade Católica de Brasília (UCB) - Distrito Federal - Brasil

Autores

Lucas Jezuino Carvalho, Fernanda Caroline Moura Garcêz, Mozart Borges de Paula, Lucas Santos de Gusmão Alves