Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ADENOMA TUBULO-VILOSO COM EVOLUÇAO PARA PROLAPSO RETAL

INTRODUÇÃO

Os adenomas são os mais frequentes entre os pólipos neoplásicos de cólon - 2/3 dos pólipos colônicos são do tipo supracitado - e boa parte da população geral (30 a 50%) os desenvolverão ao longo da vida, sendo mais incidentes naqueles com fatores de risco como obesidade, gênero masculino, dieta rica em lipídios em detrimento de fibras e idade avançada - fator fortemente associado ao grau de displasia. A maioria é assintomática e são achados acidentais em exames de rotina. No entanto, encontramos uma paciente cujo quadro clínico destoa dos casos que habitualmente envolvem essa patologia, logo, achamos válido compartilhá-lo para contribuir com a literatura e enriquecer a prática clínica-cirúrgica.

RELATO DE CASO

R.C.A., 62 anos, gênero feminino, ex-tabagista (32 maços.ano) foi admitida em nosso serviço com quadro de prolapso de reto e de alça intestinal, associada à dor local intensa e perda de peso não quantificável. Relata que episódios semelhantes de procidência já ocorreram (totalizando 10 vezes), sendo o primeiro há cerca de dois anos. Em todos os casos, conseguia reduzir manualmente o segmento exposto, porém, dessa vez, a irredutibilidade do prolapso a fez procurar auxílio médico. Foi submetida à TC de abdome total com contraste, que evidenciou: Prolapso de segmento de alça de sigmoide com formação nodular na região da mucosa da extremidade inferior exteriorizada do prolapso, sofrendo realce homogêneo pelo contraste e assumindo aspecto polipoide viloso, que mede cerca de 3,0 cm de espessura e 6,0 e 4,2 cm de extensão. Posteriormente, com o intuito de avaliar o grau de expansão, foi submetida à TC de pelve com contraste, que mostrou: Prolapso retal, com herniação de alça intestinal, gordura e vasos mesentéricos, sem caracterização de captações anômalas ao meio de contraste endovenoso e/ou processos expansivos. Ainda, foi colhido material para análise histólógica, tendo como resultado: Adenoma túbulo-viloso com atipias citoarquiteturais de alto grau. A paciente foi então transferida para o serviço de referência e submetida à retossigmoidectomia perineal (cirurgia de Altemeier), evoluindo no pós-operatório sem intercorrências.

DISCUSSÃO

A princípio, diante do quadro clínico e do histórico de perda de peso e tabagismo, foi levantada a hipótese de carcinoma colorretal, motivo pelo qual iniciamos o estadiamento. Corroborava com a nossa suposição o fato de que procidência retal não é uma complicação tão comum de doença poliposa, especialmente em se tratando de adenoma, o que gerou surpresa na equipe responsável pela paciente. Assim, visto que casos como o descrito acima, em que o pólipo adenomatoso se desenvolve a ponto de evoluir com prolapso retal dificilmente são encontrados na literatura, e lançar luz sobre esse tipo de complicação que não está isenta de acontecer é importante para aprimorar o manejo terapêutico da enfermidade.

Área

COLOPROCTOLOGIA

Instituições

HOSPITAL DE TRAUMA DE CAMPINA GRANDE/UNIFACISA - Paraiba - Brasil

Autores

DAVID PESSOA MORANO, JHONY WESLLYS BEZERRA COSTA, PEDRO HENRIQUE CALUÊTE DOS SANTOS, LARA MARGARIDA ARAÚJO TAVARES, TARSILA LÍVIA PAZ E ALBUQUERQUE, MAÉLY PRISCILA DE OLIVEIRA MENEZES, RAVENNA FERNANDES FURTADO