Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

AUMENTO DO RISCO DE INFECÇOES EM AMBIENTE CIRURGICO INAPROPRIADO

OBJETIVO

Relatar os riscos de um ambiente cirúrgico onde não se adequa as normas e protocolos padrões, destacando a importância de um ambiente controlado e alertando a incidência da infecção de sitio cirúrgico.

MÉTODO

Trata-se de uma revisão sistemática. Realizada busca nas bases de dados Medline, Lillacs e Scielo e utilizando os termos “normas e protocolos estruturais”, “complicações” e “infecção de centro cirúrgico”. Os artigos revisados foram somente os que estavam inclusos nas plataformas citadas ou tese de doutorado, indexados no período entre 08 de dezembro de 1999 e 19 de outubro de 2016. Os demais artigos que não se enquadravam nesses critérios foram excluídos.

RESULTADOS

O Centro Cirúrgico (CC) é considerado uma das mais complexas unidades hospitalares, isso é justificado devido sua alta especificidade e presença de agentes estressores, em destaque a contaminação do ambiente cirúrgico, promovendo assim, riscos à saúde dos pacientes quando submetidos à uma intervenção cirúrgica. Esse fato é comprovado mediante o elevado risco de Infecção de Sitio Cirúrgico (ISC) que acomete os pacientes submetidos as cirurgias, sua incidência está em torno de 14 a 16% das operações, obtendo assim a terceira colocação entre o conjunto das infecções relacionadas à assistência à saúde. Entretanto, para amenizar os riscos que o ambiente possui, o CC requer de protocolos estruturais, visando sempre amenizar as ameaças aos pacientes e o melhor desempenho da equipe. Portanto, o CC é composto de uma complexa estrutura que vai desde a disposição das salas ao tipo de piso e teto que aplica melhor a esse ambiente. Logo, toda essa estrutura possui o objetivo beneficiar o enfermo e a equipe que o assiste. Entretanto, por alguns motivos, algumas unidades, principalmente nos hospitais de pequeno porte, essas normas não são aplicadas com eficiência, seja por inadimplência pública e/ou por fata de uma unidade de fiscalização mais regular. Esse acontecimento é evidenciado mediante um índice de aproximadamente 15%, podendo se agravar quando o paciente é internado, desse modo elevando o risco em 60%, por sua vez expondo o paciente a estresses cirúrgicos e pós cirúrgicos.

CONCLUSÕES

Portanto, diante de protocolos e normas referente ao ambiente cirúrgico, observa-se a importância de seguir um padrão, onde a mesma promove precauções para nenhum tipo de infecção venha a surgir no pós-cirúrgico, logo, proporcionando ao paciente um pós-operatório mais agradável, por não ter sido exposto mais que o necessário a fatores estressantes. Isso é justifica devido um ambiente controlado ser menos propenso à adversidades, principalmente referente a infecções de centro cirúrgico, que atualmente é um dos principais obstáculos da pratica cirúrgica.

Área

ENSINO MÉDICO

Instituições

FAHESP/IESVAP - Piaui - Brasil

Autores

VINICIUS OLIVEIRA CUNHA NOGUEIRA, HELDER MARQUES LIMA MARQUES, HELOISA MARILAK ALVES VELOSO, VITÓRIA SENA BRAGA SENA, HENRIQUE COELHO MEDEIROS FILHO MEDEIROS, GABRIELLA BORGES PORFÍRIO, MARCUS VINICIUS NOGUEIRA BARROS, JOÃO ARTHUR DE MOURA CASTRO