Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ABORDAGEM CIRURGICA DE TUMOR DESMOIDE RECIDIVADO COM RECONSTRUÇAO DE PAREDE ABDOMINAL

INTRODUÇÃO

Tumores desmoides são constituídos de proliferação fibroblástica e crescem de fáscias ou estruturas musculoaponeuróticas. São mais frequentes no sexo feminino, na terceira década de vida e podem ocorrer de forma esporádica ou, mais comumente, associada a Polipose Adenomatosa Familiar. Sua etiologia ainda é desconhecida, mas fatores como trauma cirúrgico e exposição ao estrogênio estão associados ao aparecimento desse tipo de tumor. Apesar de benignos sob microscopia e seu baixo potencial metastático, possuem alta taxa de recidiva e tendem a infiltração local levando a deformação, morbidade e mortalidade, devido ao efeito de massa e obstrução de órgãos e estruturas vitais.

RELATO DE CASO

Paciente de 32 anos, sexo feminino, havia sido submetida a exérese de lesão medindo 5 x 6 cm, no mesmo local da massa atual, cuja análise anatomopatológica evidenciou tumor desmoide com margens livres, porém exíguas. Após 18 meses da primeira abordagem, houve surgimento no mesmo local de massa prévia, que evoluiu com crescimento rápido, alcançando grandes dimensões. Foi, então, encaminhada a serviço de oncologia e ao exame físico apresentava massa em parede abdominal abaixo da transição tóraco abdominal direita, de consistência pétrea, aderida, com desconforto a palpação local, medindo 8,5 x 6 cm, sem outras queixas. Diante dos achados, foram solicitados exames complementares. Em tomografia computadorizada de tórax e abdome foi evidenciada lesão expansiva de parede abdominal, que envolvia o último arco costal a direita, sem comprometimento de outras estruturas. Foi programada intervenção cirúrgica. Mediante realização do procedimento foi removida peça de 12 x 10 x 3 cm com técnica poupadora de pele e feita reconstrução de parede abdominal com uso de tela de polipropileno dupla face. Análise anatomopatológica mostrou tumor desmoide com infiltração extensa do músculo estriado e margens livres. Foi feito seguimento com colonoscopia para investigação de Polipose Adenomatosa Familiar, que não demonstrou nenhum achado. Paciente evoluiu com seroma no local abordado que foi devidamente drenado. Após cinco meses do procedimento, paciente ainda está em seguimento e exames de imagem não mostram novas recidivas da doença.

DISCUSSÃO

A raridade dos tumores desmoides associado a variabilidade de seu curso clínico, torna essas lesões uma entidade vexatória, e torna difícil a identificação de uma intervenção específica. A falha em reconhecer o potencial para comportamento maligno desse tumor, os torna suscetíveis a tratamento inadequado. O tratamento desta patologia ainda é controverso e como opção há tratamento farmacológico com anti-inflamatórios não hormonais e agentes hormonais, quimioterápico, que tem demonstrado boa eficácia para lesões progressivas ou sintomáticas que não respondem ao tratamento convencional, radioterápico, mais indicado para tumores extra-abdominais ou de parede abdominal, e cirúrgico, levando-se em consideração o comprometimento de estruturas adjacentes.

Área

PAREDE ABDOMINAL

Instituições

Universidade de Uberaba - Minas Gerais - Brasil

Autores

Gabriela Nascimento Cruz, Bárbara Andrade Borges, Ana Paula Sousa Machado, Gabriela Ferreira Cunha, Isabella Martins Monteiro, Iasmim Rodrigues Paula Silva, Guilherme Freire Angotti Carrara, Luiz Carlos Furtador Almeida Junior