Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

CORRELAÇAO DE ACHADOS LABORATORIAIS COM GRAU DE APENDICITE AGUDA EM UM HOSPITAL UNIVERSITARIO DE CURITIBA

OBJETIVO

Introdução: Apendicite aguda é a principal causa de abdome agudo cirúrgico apresentado em unidades de emergências médicas no mundo. A demora no diagnóstico dessa patologia é prejudicial ao paciente, aumentando o índice de complicações. A realização de exames laboratoriais pode ser útil para identificar mais precocemente estes achados. Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar as principais alterações laboratoriais em pacientes com apendicite aguda, sobretudo a leucocitose e desvio nuclear a esquerda, assim como sua relação com a fase evolutiva da enfermidade.

MÉTODO

Métodos: Estudo quantitativo, observacional transversal com delineamento retrospectivo. A população deste estudo foi composta de pacientes submetidos a cirurgia de apendicectomia no período de maio a agosto de 2016 em um hospital geral de alta complexidade da cidade de Curitiba, sendo estimada uma amostra censitária totalizando 82 pacientes.

RESULTADOS

Resultados: A média de idade foi de 29,5 anos (com variação de 12 a 88 anos), composta discretamente por pacientes com predominância do sexo masculino (n=42; 51,2%). Em relação ao leucograma, 50 (63,4%) pacientes apresentavam valores <15.000 leucócitos por mm³, 18 (22%) apresentavam níveis entre 15.000 e 20.000 leucócitos por mm³ e 12 (14,6%) apresentavam taxas ≥ 20.000 leucócitos por mm³.Quanto ao desvio nuclear a esquerda, 78% (n=64) dos enfermos não apresentavam esta alteração. As variáveis avaliadas: sexo, idade e desvio à esquerda não apresentaram diferença estatística quando comparadas com a variação de grau apendicular. Em 58,4% dos pacientes com contagem de leucócitos totais ou maior ou igual a 20.000 leucócitos por mm³ houve perfuração apendicular (fase 4) (p<0,05).

CONCLUSÕES

Conclusão: Houve significância estatística na correlação de grau de evolução da apendicite aguda com o número total de leucócitos, sendo este dado podendo ser utilizado pela prática clinica/cirúrgica como dado complementar para diagnóstico mais preciso das complicações desta patologia.

Área

URGÊNCIAS NÃO TRAUMÁTICAS

Instituições

HOSPITAL UNIVERSITARIO EVANGELICO DE CURITIBA - Parana - Brasil

Autores

HENRIQUE LEANDRO BRAZ