Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ILEOCOLECTOMIA DIREITA SECUNDARIA A TROMBOSE VENOSA MESENTERICA: UM RELATO DE CASO

INTRODUÇÃO

A trombose venosa mesentérica (TVM) representa 5 a 15% dos casos de isquemia mesentérica. Em cerca de 3/4 dos casos identificam-se fatores etiológicos subjacentes. Nestes, incluem-se os estados de hipercoagulabilidade, processos inflamatórios adjacentes, hipertensão portal, traumatismo ou cirurgia abdominal.
A apresentação clínica clássica é dor abdominal tipo cólica em mesogástrio. Náusea, vômito, anorexia e diarreia são comuns. Por sua natureza rara e inespecificidade de sintomas, muitos casos são identificados apenas após laparotomia exploratória (LE) ou necropsia, o que vem sendo modificado com o avanço nas novas técnicas de imagem.
O tratamento de TVM sem evidência de necrose intestinal é a anticoagulação precoce. Já a cirurgia está indicada nos casos de perfuração ou isquemia intestinal. Complicações pós-operatórias incluem sepse e síndrome do intestino curto
A TVM tem uma alta taxa de recorrência e a taxa de mortalidade varia de 20% a 50%

RELATO DE CASO

T.F.S, 21 anos, feminino, natural e procedente de Recife-PE, sem comorbidades ou cirurgias prévias, em uso irregular de ACO, deu entrada na emergência de hospital terciário em Recife com história de dor abdominal difusa intensa, associada a distensão abdominal, episódios eméticos e diarreia escurecida, há 6 dias. Evoluiu com vômitos escuros e fétidos, além de parada de eliminação das fezes. Foi, então, realizado USG abdominal, que demonstrou sinais sugestivos de obstrução intestinal e líquido livre na cavidade. Assim, foi submetida à LE de emergência, que evidenciou isquemia mesentérica, sendo realizado ileocolectomia direita + jejunostomia + fístula mucosa de cólon transverso. Após procedimento, foi iniciado anticoagulação e permaneceu 9 dias na UTI. No 10º DPO, apresentou quadro de distensão abdominal associada a dor em região esquerda de abdome. Realizado, então, TC abdominal total, que mostrou líquido livre na cavidade. Assim, foi optado pela realização de nova LE, sendo feito toalete cavitário. Posteriormente, paciente retornou para enfermaria, não apresentando novas intercorrências. Durante internamento foi diagnosticada com Síndrome do Anticorpo Antifosfolipídeo, recebendo alta em uso de Varfarina, após alcançar o alvo do INR

DISCUSSÃO

A Isquemia mesentérica, condição mais comum em mulheres, tem como fatores de risco estados pro-trombóticos e uso de ACO, presentes no relato.
A TVM apresenta-se sob forma aguda (mais rara), subaguda ou crônica. Na forma aguda, apresentada no caso, a sintomatologia inicial é exuberante e desproporcional aos achados no exame físico, com rápida evolução.
A oclusão intestinal é uma forma rara de manifestação de TVM que resulta de uma estenose isquêmica. Apesar do acometimento preferencial pelo jejuno, conforme literatura médica, foi observado acometimento de todo o íleo e cólon ascendente.
Por se tratar de condição rara e com alto risco, a consideração diagnóstico e avaliação precoces em pacientes com dor abdominal são fundamentais para o diagnóstico oportuno e melhores desfechos.

Área

INTESTINO DELGADO

Instituições

Hospital Getúlio Vargas - Pernambuco - Brasil

Autores

Agripino Joaquim de Melo Neto, Josemir Lessa de Carvalho, Isabela Cristina Araujo de Macedo