Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

BENEFICIOS E COMPLICAÇOES DO POS-OPERATORIO DA CIRURGIA DE DESARTERIALIZAÇAO HEMORROIDARIA TRANSANAL

OBJETIVO

Descrever os benefícios e complicações observados no pós-operatório da cirurgia Desarterialização Hemorroidária Transanal (THD) com doppler, técnica minimamente invasiva para o tratamento de hemorróidas sintomáticas.

MÉTODO

Trata-se de um estudo retrospectivo e descritivo, por meio da coleta de dados pré-operatórios e pós-operatórios de 51 pacientes submetidos à técnica THD. As cirurgias foram executadas por quatro médicos coloproctologistas, em um hospital particular de Brasília-DF, no período de abril de 2013 a janeiro de 2019. Os dados coletados foram: sexo, idade, grau da hemorroida, dor, complicações pós-operatórias e período de absenteísmo.

RESULTADOS

Foram analisados 51 prontuários, dentro os quais 34 pacientes eram do sexo masculino (66,6%) e 17 do sexo feminino (33,3%), com média de idade da amostra de 51,58±13,75. Do total, 5 pacientes (9,8%) apresentavam hemorroida de 1º grau, 20 (39,2%) de 2º grau, 18 (35,3%) de 3º grau e os 8 restantes (15,6%) de 4º grau. Utilizou-se a técnica THD em pacientes com hemorroida de 1º grau devido ao sangramento apresentado por esses, o qual se estendia a um quadro de anemia. Após o procedimento, 10 pacientes evoluíram com alguma complicação, distribuídos em: 5 casos de tenesmo (9,8%), 2 de trombose (3,9%), 2 de retenção urinária (3,9%) e 1 paciente que apresentou fecaloma (1,9%). Para avaliar a complicação de tenesmo não se usou manometria, pelo fato da técnica THD não comprometer a pressão exercida pelo esfíncter anal. Dos 51 pacientes submetidos à THD, 32 (62,7%) não referiram dor alguma no pós-operatório imediato, 9 (17,6%) relataram dor leve, 6 (11,7%) dor moderada e 4 (7,8%) dor intensa. Em 8 casos houve algum grau de sangramento ou prolapso no pós-operatório, sendo 1 necessário reabordagem. A mediana do período de absenteísmo foi de 14 dias.

CONCLUSÕES

Os resultados sugerem que o procedimento THD com doppler traz benefícios em pacientes com doença hemorroidária em todos os graus e está associado a baixas taxas de complicações, período curto de absenteísmo e alto percentual de sucesso no tratamento.

Área

COLOPROCTOLOGIA

Instituições

UniCEUB, UnB e IHBDF - Distrito Federal - Brasil

Autores

Beatriz Oliveira Viana, Camila Rodrigues Ribeiro, André Metzker Ferro, Aquiles Leite Viana, João Batista Monteiro Tajra