Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ABSCESSO DE MUSCULO PSOAS DE ORIGEM HEMATOGENICA: RELATO DE CASO

INTRODUÇÃO

Psoíte é um processo inflamatório infeccioso que envolve o músculo iliopsoas, localizado no retroperitôneo. Provoca dor e redução de mobilidade do quadril. Apresenta alta taxa de mortalidade e sua etiologia mais frequente é a bacteriana, sendo os agentes mais comumente isolados a E. coli e o S. aureus. A etiopatogenia mais frequente é a primária (hematogênica). As secundárias acontecem devido a infecções de estruturas vizinhas ou próximas, como processos infecciosos de origem óssea, renal e nas intestinais. Analisamos prontuário de paciente com diagnóstico de psoíte, complicada com extenso abscesso retroperitoneal, coxa e tórax.

RELATO DE CASO

Paciente A.L.A., feminino, 81 anos de idade, diabética e hipertensa crônica. Deu entrada em serviço de pronto socorro, no dia 20-09-2017, referindo dor de forte intensidade em fossa ilíaca direita (FDI) irradiada até a coxa, com sete dias de evolução, que a impossibilitava de deambular, associado a perda de apetite. Na admissão foi internada em UTI, pois apresentava um quadro de insuficiência renal aguda.
Exame físico evidenciava quadro de torpor, hiperemia e edema em região de dorso, quadril e coxa direita. Taquicardia, taquipnéia e afebril. Radiografia da pelve evidenciava borramento e aumento da densidade de partes moles na FID e face medial do quadril. Tomografia revelou presença de grande quantidade de líquido em FID estendendo por todo retroperitônio, hemitórax direito e terço proximal de coxa direita. Após definição diagnóstica como psoíte de origem primaria via hematogênica, discutido com cirurgião torácico que contra indicou a drenagem torácica. Realizado procedimento cirúrgico de drenagem de abcesso do músculo psoas e do retroperitôneo por via ilioinguinal e drenagem da coxa por via de Ludlof, perfazendo um total de drenagem de 2.200 mL. Evoluindo com importante melhora do quadro séptico e renal. Com 20 dias de pós operatório apresentou quadro infeccioso pulmonar que culminou em insuficiência respiratória e óbito no vigésimo oitavo dia. Exame físco e de imagem demonstravam ausência de acúmulo de líquido na região da cirurgia e tórax.

DISCUSSÃO

O tratamento da miosite do músculo psoas é realizado através da antibioticoterapia, porém em determinados casos é necessária a intervenção por meio da drenagem percutânea ou cirúrgica. A drenagem cirúrgica é recomendada em casos de focos de infecção ou por qualquer circunstância que impossibilite a drenagem percutânea. Ainda assim, evidenciou-se que, no caso da intervenção cirúrgica, o tempo de internação hospitalar foi reduzido.
No caso relatado, a recomendação foi de tratamento cirúrgico, com base no exame de imagem, o qual evidenciou uma dissecação da Artéria Femoral e Artéria e Veia Ilíacas, além de invadir a capsula articular do fêmur.
Outra complicação clínica evidenciada foram os níveis elevados de creatinina (1,6mg/dL) e ureia (73mg/dL), os quais caracterizaram um quadro de insuficiência renal aguda, o qual apresentou remissão no pós-operatório com a drenagem do abscesso.

Área

URGÊNCIAS NÃO TRAUMÁTICAS

Instituições

Clinica TOP - Paraiba - Brasil

Autores

Esdras Fernandes Furtado, Gustavo Furtado Figueirêdo, Pedro Henrique Costa Lucena, Rigoberto Rodrigues Lima Filho, Paulo Leão Menezes, Marcus Augusto Pereira Brito, Matheus Menezes Furtado, Gabriel Luiz Rocha Bruno