Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

GRANDE MASSA ABDOMINAL: SARCOMA UTERINO, RELATO DE CASO

INTRODUÇÃO

O sarcoma uterino é responsável por 3 a 9% de todas as neoplasias malignas uterinas. Esses tipos de tumores surgem da divisão de células no miométrio ou elementos do tecido conjuntivo dentro do endométrio. Em comparação com os carcinomas endometriais mais comuns (neoplasias epiteliais), os sarcomas uterinos, particularmente os leiomiossarcomas (neoplasias do tecido conjuntivo), comportam-se de forma agressiva e estão associados a um pior prognóstico. Os fatores de risco para tal câncer são a idade avançada, mulheres da raça negra, uso prolongado de tamoxifeno, histórico de radiação pélvica prévia e algumas alterações genéticas em que há componentes hereditários associados. O sarcoma uterino geralmente apresenta sangramento uterino anormal, dor ou pressão pélvica ou massa uterina como no caso relatado neste trabalho.

RELATO DE CASO

A paciente R.C.S, 56 anos, há cerca de 6 meses procurou serviço de saúde devido a um aumento significativo do volume abdominal, associado a sangramento transvaginal eventual e dor pélvica de forte instensidade. Possui em seu histórico, acompanhamento ginecológico há 4 anos devido dor abdominal e sangramento transvaginal esporádico, atribuído a doença miomatosa uterina. É hipertensa e coronariopata. Relata ser não etilista e não tabagista. Passou por duas gestações sem intercorrências, sendo ambos partos normais. Vivenciou menarca aos 12 anos e menopausa aos 49 anos. No exame físico, ficou evidenciada massa palpável abrangendo desde abdome inferior até a região de mesogástrio. Foi solicitada então, tomografia em que notou-se um aumento no volume uterino, que apresentava aproximadamente 3700 mL, o que sugeriu diagnóstico de doença miometrial, associado a transformação sarcomatoide. Por meio do exame anatomopatológico, constatou-se a presença de sarcoma uterino cuja classificação foi pT2 pN0, associado a doença miomatosa uterina. Não possui sinais de metástase a distância. Atualmente, a paciente segue em tratamento oncológico clínico.

DISCUSSÃO

Apesar de a história clínica, o exame físico, a evolução laboratorial com o marcador CA-125 e as imagens de exames complementares serem importantes para o diagnóstico, apenas a biópsia aberta dá o resultado final para a maioria dos casos.
Os achados em exames e exames de imagem para sarcoma uterino são quase idênticos aos dos leiomiomas uterinos benignos, bem como para variantes de leiomiomas atípicos. Assim, o diagnóstico de sarcoma uterino é feito frequentemente após miomectomia ou histerectomia e freqüentemente requer o exame de múltiplos locais na massa.
Comumente tem sido ensinado que o crescimento rápido de uma massa uterina é um sinal de um sarcoma uterino em potencial, como no caso relatado acima e há a necessidade dessa suspeição. No entanto, deve-se saber que a maioria das mulheres com útero rapidamente aumentado ou massa uterina não tem um sarcoma.

Área

GINECOLOGIA

Instituições

Centro Universitário FAG/ CEONC - Parana - Brasil

Autores

Cláudia Fernanda Camini, Marcelino Paiva Martins, Henrique Augusto Spies Adamy, Rene Augusto Weirich, Silvia Casanova Baldissera, Flávio Luise Bressan