Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DIVERTICULITE DE COLON DIREITO: UM RELATO DE CASO

INTRODUÇÃO

A diverticulite aguda representa a complicação mais comum da doença diverticular dos cólons, acometendo cerca de 10 a 25% dos casos. Pode ocorrer em qualquer segmento cólico; todavia, o sigmoide é a região acometida em cerca de 80% dos casos. A diverticulite de cólon direito tem etiopatogenia semelhante a diverticulite sigmoideana, sendo mais frequente na população asiática, a partir dos 40 anos. Nos países ocidentais traduz-se mais frequentemente por um divertículo único, verdadeiro, localizado no ceco.

RELATO DE CASO

A.N.S., 36 anos, sexo feminino, branca, natural e procedente de Uberaba-MG. Procurou
pronto atendimento com história de dor abdominal em quadrante inferior direito há 3 anos, com piora significativa
há 3 dias. Relatava que a dor era de aspecto intermitente, com posterior evolução para contínua, com piora após à
alimentação e deambulação. O exame físico revelou dor à palpação de FID, com sinais de peritonite local.
Contagem de leucócitos de 13.000 e 5% de bastonetes. Trazia consigo uma Tomografia de abdome que
evidenciava doença diverticular pan-colônica, sem complicações. Optado pela realização de uma nova Tomografia
abdominal contrastada, que evidenciou doença diverticular difusa, do ceco ao sigmoide, presença de
espessamento da parede e edema da gordura pericecal, compatível com diverticulite Hinchey I. Optado pelo
tratamento clínico com antibioticoterapia e suporte, com boa evolução clínica, com posterior seguimento
ambulatorial.

DISCUSSÃO

A diverticulite do ceco e cólon ascendente representa cerca de 1,5% dos casos, sendo causa de 0,2% de todos os procedimentos cirúrgicos realizados por abdome agudo. O paciente típico é do sexo masculino, a partir da quarta década de vida. O quadro clínico caracteriza-se geralmente pelos sintomas e sinais clássicos da apendicite aguda, contudo, as náuseas e vômitos tendem a ser menos frequentes, e em 50% dos casos, a dor abdominal tem mais de 2 dias de evolução. Em virtude da apresentação semelhante à apendicite aguda, o diagnóstico pré-operatório é muito difícil. Deve ser suspeitado em pacientes jovens, com ancestrais asiáticos, apresentando dor abdominal há mais de 2 dias e sem náuseas/vômitos, sendo estes, apendicectomizados ou com algum exame de imagem ou endoscópico, com diagnóstico da doença diverticular no cólon direito ou ceco. A tomografia computadorizada de abdome representa o principal exame complementar, que pode permitir o diagnóstico diferencial da dor abdominal. Se o diagnóstico conclusivo da diverticulite cecal / cólon direito for obtido antes da realização da cirurgia, o tratamento conservador com antibióticos de amplo espectro pode ser apropriado. Nos casos de indefinição diagnóstica, ou evolução desfavorável ao tratamento clínico, a colectomia direita é a técnica mais apropriada, com bons resultados.

Área

COLOPROCTOLOGIA

Instituições

UFTM - Minas Gerais - Brasil

Autores

MARIA LIBORIO PEREIRA LEITE, VITOR MARQUES TAVARES, IZADORA LORENA FERREIRA REIS, LUCAS DOMINGOS RODRIGUES CUNHA, RICARDO TONIM TOTOLI, GUSTAVO ALVES SERRALHA, GLENIO FERNANDES MORAES