Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

BENZOAR METALICO: OPÇAO DE TRATAMENTO APOS PROCEDIMENTOS CIRURGICOS DE REPETIÇAO

INTRODUÇÃO

A ingestão de corpos estranhos é uma ocorrência comum na infância ou em adultos que possuam doença psiquiátrica, retardo mental ou em presidiários. As complicações mais comuns estão relacionadas ao tipo de corpo estranho, localização e duração da impactação, sendo que objetos maiores que 6,5cm e pontiagudos são os mais comumente implicados em perfuração. Métodos não-endoscópicos de retirada são associados com alto risco de perfuração e aspiração, devendo ser evitados. A remoção cirúrgica é raramente indicada, sendo necessária quando o tamanho ou a multiplicidade do objeto contraindicar o método endoscópico, quando houver falta de progressão do corpo estranho pelo trato gastrointestinal e na presença de perfuração, obstrução e sangramento.

RELATO DE CASO

FTL, masculino, 39 anos, esquizofrênico, com história pregressa de nove laparotomias exploradoras (LE) prévias para retirada de corpos estranhos. Procedente de presídio, escoltado por agentes de segurança, com relato de ter engolido 2 barras de ferro, uma em topografia de estômago e uma em quadrante inferior esquerdo (QIE) do abdome. Procedida endoscopia digestiva alta com retirada de uma barra de ferro (14cm) com alça de polipectomia, sem intercorrências. Permaneceu com outra barra de ferro na topografia de QIE. Recusou-se a receber toque retal. Recebeu alta por evasão. Retornou após 5 dias, com dor abdominal intensa, sendo realizada colonoscopia. Devido ao preparo de cólon retrógrado ruim o corpo estranho não foi visualizado.. Foi realizada TC de abdome com contraste evidenciando material com densidade metálica no interior do cólon descendente / sigmoide, provavelmente relacionado a corpo estranho, medindo aproximadamente 13 cm e estilhaços metálicos esparsos. Realizada retossigmoidoscopia flexível e procedida retirada do objeto com alça de polipectomia. Evoluiu com melhora clínica e recebeu alta hospitalar.

DISCUSSÃO

Temos aqui um caso de ingestão de corpos estranhos metálicos em um paciente psiquiátrico e presidiário que já necessitou de diversas intervenções cirúrgicas devido ao mesmo problema. Foi necessária a realização de endoscopia digestiva alta para a retirada de um dos objetos e de retossigmoidoscopia flexível para a retirada do outro corpo estranho, não sendo necessária a abordagem cirúrgica em paciente com nove LE prévias.

Área

MISCELÂNEA

Instituições

UniCEUB - Distrito Federal - Brasil

Autores

Mariana França Bandeira de Melo, Ângelo Santana Guerra, Davi Farias Pereira, Victor Barroso Camilo Cunha Ataíde, Diego Fernandes Queiroga Pita, Izabella Rezende Oliveira, Arthur Barroso Vidal Vilarinho, Rosana Rodrigues Galletti