Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ANALISE EPIDEMIOLOGICA DAS TIREOIDECTOMIAS TOTAIS REALIZADAS NO HOSPITAL UNIVERSITARIO DE SANTA MARIA (HUSM)

OBJETIVO

Delimitar as indicações, perfil epidemiológico, complicações pós operatórias e tempo de internação de pacientes submetidos a Tireoidectomia total (TT) no HUSM.

MÉTODO

Trata-se de estudo retrospectivo com base em revisão de prontuários de pacientes submetidos à TT no HUSM no período compreendido entre março de 2017 e dezembro de 2018.

RESULTADOS

Foram realizadas 75 TT pela Equipe de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do HUSM no período citado. Bócio Multinodular sintomático contemplou a maior parte das indicações cirúrgicas (44%), seguido por nódulos tireoidianos benignos únicos - adenomatoso, folicular ou coloide (13,2%). Juntas, as patologias benignas foram responsáveis por 57,2% das indicações de TT. Dentre as doenças malignas, o Carcinoma Papilífero foi o achado mais prevalente, somando 28 casos (37,3%). As outras indicações incluem Mixofribrossarcoma, metástase de Carcinoma de Células Claras renal e Carcinoma Medular de Tireoide, cada um com um caso. A média de idade dos pacientes foi de 50 anos. O tempo médio de internação foi de 2,3 dias, sendo que 55 (74,2%) dos pacientes deram alta com 2 dias ou menos de internação. Complicações estiveram presentes em 34 pacientes (45,9%), sendo a mais frequente hipocalcemia, representando 53,49% dos casos em que estas existiram (transitória e permanente), seguida de disfonia (25,58% dentre transitórias e permanentes), seroma (6,97%), granuloma (4,65%), deiscência de sutura (4,65%) e outros (4,65%). Não foram observados óbitos decorrentes do procedimento cirúrgico.

CONCLUSÕES

O perfil de pacientes submetidos a esta cirurgia foi bastante semelhante ao encontrado na literatura atual, sendo composto na maior parte por indivíduos na quinta década de vida. As patologias malignas, com destaque ao carcinoma papilífero, apresentaram uma porcentagem bastante elevada das indicações cirúrgicas (42,6%), fato talvez atrelado à grande drenagem de pacientes oncológicos pelo Hospital Universitário de Santa Maria. O tempo de internação foi relativamente curto (2,3 dias), tendo a média elevada principalmente por casos isolados de permanência estendida devido a complicações relacionadas às más condições clínicas gerais de pacientes oncológicos. A complicação mais frequente foi o hipoparatireoidismo (30,6%), embora a permanência dos sintomas tenha sido baixa. A paralisia de pregas vocais foi observada em nove pacientes (12%), sendo somente em um caso bilateral, e outros dois pacientes apresentaram queixas de disfonia com exame videolaringoscópico normal. A tireoidectomia total consiste em um dos principais procedimentos dentro da Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atenção à técnica cirúrgica e à anatomia são fundamentais para o sucesso do procedimento.

Área

CIRURGIA CABEÇA E PESCOÇO

Instituições

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

José Antonio Nunes Razia, Aloysio Enck Neto, Lucas Spina, Cláudio Dellinghausen Silveira, Fellipe Debona, Roger de Ávila Querino Vieira, Franciele Pereira Madeira, Pedro Guido Sartori