Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ANASTOMOSE BILIODIGESTIVA COMO TRATAMENTO PALIATIVO EM TUMOR DE PÂNCREAS AVANÇADO: UM RELATO DE CASO

INTRODUÇÃO

A icterícia obstrutiva ocorre quando existe impedimento do fluxo da bile do hepatócito ao duodeno, ocorrendo aumento da pressão ductal e, portanto, contaminação da bile para o todo o organismo. Como opção ao fluxo da bile, existem medidas como a amplificação do canal que liga a via biliar ao colédoco através de stents plásticos/metálicos que criem nova rota à bile. Dentre as opções, a anastomose biliodigestiva consiste na união entre um segmento da via extra-hepática com uma porção do tubo digestivo, no intuito de restaurar o fluxo da bile e reconstruir a via, impedindo que o corrimento fique preso e manifeste-se obstrutivamente com quadro ictérico.

RELATO DE CASO

F.E.S, 80 anos, deu entrada no hospital Santa Isabel – JP/PB com histórico de dor abdominal em alto ventre associado a icterícia progressiva e prurido há 3 meses com episódios de vômitos em borra de café, havendo perda ponderal (10kg em 1 ano). À investigação, exames constataram bilirrubina direta 15,05; indireta 5,22; AST 213; ALT 165; fosfatase alcalina 1860; gama-GT 2113; e colangiorressonância evidenciou dilatação de vias biliares com em terço médio do colédoco caracterizando material de baixo sinal em T2, suspeita de processo neoplásico nas vias biliares, cujo diagnóstico de coledocolitíase e tumor de cabeça de pâncreas. Durante a internação, tentou-se drenagem endoscópica sem sucesso, devido redução lumial importante na curvatura superior do duodeno; optando-se, então, pela drenagem percutânea guiada por USG abdominal para alívio de sintomas e drenagem externa do conteúdo, atenuando quadro obstrutivo da paciente. 20 dias seguintes, já havendo retorno do quadro foi realizada colangiografia com papilotomia e citologia c/ tentativa de endoprótese metálica no orifício por onde a secreção biliopancreática é eliminada; no entanto, por causa do intenso estreitamento não foi possível posicionar a prótese biliar. Paciente permaneceu internada com flutuação do quadro de vômitos, icterícica (3+/4+), sendo adotada a hemoderivação biliodigestiva cirúrgica entre uma alça jejunal e a vesícula como alternativa paliativa ao tumor de cabeça de pâncreas.

DISCUSSÃO

Sendo a icterícia obstrutiva a principal forma de apresentação da neoplasia pancreática, a descompressão biliar paliativa pode trazer conforto ao paciente aliviando o quadro ictérico e de prurido. Esta, pode ocorrer por via endoscópica, radiológica ou cirúrgica; sendo a última abordagem mais eficiente em combater a recidiva do quadro biliar, enquanto a endoscópica mais vantajosa em quadros delicados com condições clínicas desfavoráveis. Com relação ao stent, o metálico tem reconhecidamente maior taxa de sucesso no alívio ictérico. Dentre as anastomoses biliodigestivas mais frequentes, a colecistojejunal primeiramente e a coledocoduodenostomia constituem boas opções de alívio do quadro de câncer de pâncreas avançado, desde que com morbimortalidade aceitável, garantindo um menor comprometimento na sobrevida do paciente.

Área

VIAS BILIARES E PÂNCREAS

Instituições

FAMENE - Paraiba - Brasil

Autores

JOAQUIM LUCAS VASCONCELOS LIMA DOS SANTOS, FLORA DE SOUZA BRANDÃO REIS, JOÃO PEREIRA DE ASSIS NETO, MARCELA ROLIM DA CRUZ, MARIA RAFAELA FECHINE GARCIA, RINALDO MOREIRA PINTO FILHO