Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ABORDAGEM TERAPÊUTICA EM COLELITÍASE MACIÇA: RELATO DE CASO

INTRODUÇÃO

Define-se como Coledocolitíase Múltipla a existência de múltiplos cálculos (mais que cinco) no Ducto biliar comum, porém, em revisão de literatura sobre o tema, apesar de existirem relatos do termo “Coledocolitíase Maciça”, não existe definição prática para o mesmo. Foi apresentado um paciente com coledocolitíase maciça, onde a colangiopancreatografia retrógrada endoscópica não obteve sucesso, sendo submetido à exploração cirúrgica. Objetivos: Relatar coledocotomia transversa em pacientes após colangiopancreatografia retrógrada endoscópica e papilotomia endoscópica sem sucesso. Material e métodos: Os dados coletados foram obtidos através de acompanhamento do procedimento cirúrgico realizado na paciente e dos registros em prontuário médico.

RELATO DE CASO

Paciente de 62 anos com quadro de dor abdominal tipo queimação em epigástrico e hipocôndrio direito. Ao exame físico, Sinal de Murphy positivo ao referir dor a compressão do rebordo costal direito à inspiração profunda e não completando a inspiração, sem alterações laboratoriais, diagnosticado com colelitíase e coledocolitíase através de ultrassonografia. A colangiopancreatografia retrógrada endoscópica não obteve sucesso, pois não foi conseguido a cateterização seletiva da via biliar, optando-se por realizá-la no intra-operatório. Iniciado o procedimento videolaparoscópico, a Colangiografia revelou colédoco dilatado (1,6 cm) repleto por cálculos de até 0,7 cm, sendo então realizado papilotomia endoscópica através de fio guia transcístico e tentativa de esvaziamento do colédoco. Como não foi possível, optou-se pela exploração cirúrgica, submetendo a paciente à coledocotomia transversa, com extração de 67 cálculos entre 0,3 e 0,7 cm, e posterior Coledocoduodenoanastomose.

DISCUSSÃO

Uma vez confirmada a coledocolitíase, a escolha da conduta deve ser feita com cautela pelo médico, que deve analisar fatores como: o momento do diagnóstico, o número e o tamanho dos cálculos, o grau de dilatação do colédoco, as taxas de complicações de cada método, as possíveis complicações do tratamento cirúrgico , risco do procedimento e, não menos importante, a disponibilidade e as condições do Serviço.

Área

VIAS BILIARES E PÂNCREAS

Instituições

Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba - Paraiba - Brasil

Autores

Vitor Magalhães Libanio, Raphael Pedro Ribeiro Pontes, Perilo Rodrigues Lucena Filho, João Bosco Braga Neto, Henrique Palitot Oliveira Lima Nunes, Matheus Leal Pires Raposo, Selda Rafaela Aguiar Ribeiro Coutinho, ítalo Primo Gonçalves Rolim