Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

AUMENTO DE CIRURGIAS VIDEOLAPAROSCOPICAS NO SISTEMA PUBLICO DE SAUDE X AUMENTO DO NUMERO DE CIRURGIOES E VAGAS DE RESIDENCIA MEDICA EM CIRURGIA GERAL NO BRASIL

OBJETIVO

Correlacionar se o aumento do número de vagas de residência médica em Cirurgia Geral no Brasil, e consequentemente de novos cirurgiões, vem aumentando o número de cirurgias vídeo-assistidas no Sistema Único de Saúde (SUS)

MÉTODO

Foi realizado um estudo transversal com análise de prevalência de colecistectomias abertas e laparoscópicas de 2008 a 2017. Posteriormente, estes dados foram comparados ao número de vagas de residência médica no Brasil e ao número de cirurgiões gerais no país. Os dados foram retirados do DATASUS, Ministério da Educação e Conselho Federal de Medicina, respectivamente.

RESULTADOS

As colecistectomias videolaparoscópicas, procedimento videoassistido mais realizado no país, passaram de 19.277 cirurgias em 2008, para 81.072 em 2017, enquanto o aumento do número de cirurgiões no mesmo período foi de 174%, e das vagas em cirurgia geral de 63%. Alguns padrões puderam ser observados: A região Norte, que proporcionalmente apresentou o maior aumento percentual (85%) referente às vagas de residência médica em cirurgia geral, 55 para 102, também apresentou o maior aumento percentual do número de novos cirurgiões gerais, com 308%, e teve aumento de colecistectomias laparoscópicas (CL) de 333%. A região Sudeste, que detém em 2018 o maior número absoluto de vagas de R1 em cirurgia geral, 1.024, também é onde encontram-se o maior número absoluto de cirurgiões, 17.401, e onde se realizam o maior número de CL (43.307). Não foi observado, em nenhuma região do país, decréscimo tanto do número de vagas de residência como do número de cirurgiões absolutos por região, assim como houveram aumentos expressivos do número de cirurgias videoassistidas em todo país, sem decréscimos.
Os autores ainda debatem sobre todas as regiões do país, correlacionam os dados com o número de vagas, bem como comparam o número cirurgiões gerais novos com o aumento de cirurgias videoassistidas e debatem sobre os demais motivos que estão levando à melhora dos índices das cirurgias videoassitidas no país.

CONCLUSÕES

Pode-se concluir com o levantamento que houve conexão entre os dados e que este aumento não apenas se encontrou nos principais centros do país como difundiu-se para as áreas interioranas, fazendo com que o cirurgião já formado com os ensinamentos videolaparoscópicos implemente seus conhecimentos e técnicas em regiões previamente carentes de tal. Todavia, os autores destacam que este é apenas um dos fatos que contribuíram para que este aumento de cirurgias videolaparoscópicas tenha ocorrido e que os dados ainda encontram-se longe dos países desenvolvidos ou até mesmo dos sistemas privados do país. Este levantamento ajuda a conduzir estratégias de saúde pública a fim de comparar o uso de cirurgia videoassistida entre as regiões do território nacional em comparação às vagas ofertadas pelos hospitais e universidades brasileiras, ajudando para que medidas públicas de saúde sejam adotadas para que ainda mais pacientes possam se beneficiar das novas técnicas cirúrgicas disponíveis por todo o país.

Área

ENSINO MÉDICO

Instituições

HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Antoninho José Tonatto Filho, José Gustavo Olijnyk, Thiago Kreutz Grossmann, Thiago Filomena Lombard, Alberto Treiguer, Felipe Melloto Gallotti