Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ADENOMA NEFROGENICO DA BEXIGA EM UM PACIENTE JOVEM

INTRODUÇÃO

O adenoma nefrogênico da bexiga (ANB) é uma variante dos tumores uroteliais, rara e benigna, mais frequente em homens adultos. Sua etiologia é desconhecida, porém sabe-se que está associada a processos inflamatórios crônicos, trauma vesical, litíase, processos indutores de imunossupressão e cirurgias oncológicas. A literatura atual é restrita no que diz respeito ao follow-up e aspectos clínicos, ainda necessitando de discussões. Por esse motivo, somado a escassez de relatos em jovens, decorre a descrição deste caso, diagnosticado como adenoma nefrogênico de bexiga.

RELATO DE CASO

E.C.C, 17 anos, masculino. Encaminhado em 11/2017 para o serviço de Urologia da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, devido a lesões intra-vesicais evidenciadas em ecografia prévia e episódios de hematúria. Apresentava histórico de trauma abdominal fechado, com tratamento conservador. Negava emagrecimento ou sintomas constitucionais. Trazia ecografia das vias urinárias, na qual observou-se espessamento irregular e assimétrico da parede lateral esquerda e assoalho vesical, com áreas de captação de fluxo ao doppler junto à porção próxima à mucosa vesical, com espessura máxima de 2,4cm. Após, foi realizada uma cistoscopia, onde foram constatadas lesões vegetantes em parede lateral esquerda e domo vesical. O paciente foi submetido a resseção transuretral de bexiga e o estudo anatomopatológico da amostra foi sugestivo de adenoma nefrogênico, com fragmentos de mucosa transicional com áreas de edema e foco de metaplasia intestinal. A imunohistoquímica apresentou CK7, CK 8/18, CK20, PAX2, PAX8, GATA-3, RCC, CDX2, CD10, Vilina, Ki-67 positivos, também sugestivo de adenoma nefrogênico.

DISCUSSÃO

O ANB é uma lesão metaplásica do urotélio, cujo diagnóstico é histopatológico, demarcado pela presença de estruturas tubuloglandulares. Apresenta prevalência superior no sexo masculino e na idade adulta, ocorrendo mais frequentemente na bexiga (80%), seguida de lesões no trato geniturinário. A histogênese do ANB é explicada tanto como uma lesão metaplásica do urotélio vesical, quanto por uma lesão nefrogênica secundária à proliferação de células tubulares renais implantadas ao longo do trato urinário. Sua apresentação clínica é inespecífica, o que torna o diagnóstico essencialmente histológico. Engloba sintomas como disúria, hematúria e urgência miccional. O ANB pode estar associado com neoplasias uroteliais, adenocarcinomas ou carcinoma de células escamosas de bexiga. Além disso, apresenta alta taxa de recorrência e potencial de transformação maligna, o que justifica um regime de follow-up apertado. Destaca-se a importância da ressecção transuretral, apontada como essencial para diagnóstico e terapêutica, bem como de acompanhamento com cistoscopias de 3 em 3 meses após cirurgia e, após, 6 em 6 meses até completar 5 anos para follow-up de tumores vesicais de risco intermediário sem recidiva tumoral no último ano, conforme guidelines da European Association of Urology.

Área

UROLOGIA

Instituições

ULBRA - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Laetitia Moraes Trindade, Pedro Henrique Cardoso Dall Agnol, Bruni Chao Lisot, Bruno Lorenzet Florian, Gabriel Weiss, Giovani Thomaz Pioner, Luís Vinícius Bastos de Souza, Rafael Trindade Deyl