Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ADENOCARCINOMA GASTRICO APOS CIRURGIA BARIATRICA: UM RELATO DE CASO

INTRODUÇÃO

A eficácia e segurança da gastroplastia já foi bem demonstrada no sentido de aumentar a longevidade e a qualidade de vida dos obesos mórbidos. As neoplasias gástricas são infrequentes após a cirurgia obesidade, entretanto, casos de neoplasias na bolsa gástrica e tumores no estômago desviado já foram descritos na literatura. Este trabalho apresenta o caso de um paciente que desenvolveu um adenocarcinoma na bolsa gástrica proximal 12 anos após ser submetido a cirurgia bariátrica pela técnica de by-pass em Y de Roux, o qual foi removido cirurgicamente através da realização de gastrectomia total em Y de Roux + linfadenectomia + vagotomia troncular + esofagojejunoanastomose.

RELATO DE CASO

A.S.S., 60 anos, submetido à gastroplastia pela técnica de by-pass em Y de Roux em 2005. Evoluiu com vômitos por cinco meses, entre dezembro de 2017 e abril de 2018, e perda de aproximadamente 25 kgs nesse período. Foi realizada endoscopia digestiva alta (EDA) em fevereiro de 2018 que evidenciou sinais de gastroplastia e corpo estranho em luz gástrica, sendo interrogado anel migrado, além de úlcera em região de anastomose que foi biopsiada. Foi realizada nova EDA, em março 2018, que evidenciou anel migrado e úlcera de boca anastomótica, não sendo possível remover o anel. Foi feito tratamento com protetores gástricos e paciente foi submetido a nova EDA que evidenciou extensa úlcera circunferencial, com fundo fibrinoso, medindo 10 mm, que se estendia até a face jejunal, onde havia o anel parcialmente migrado na luz (<50%), sendo, portanto, realizada a remoção do anel. O paciente evoluiu com melhora clínica. Em biópsia, foi evidenciado adenocarcinoma gástrico com área sólida, pouco diferenciado, invasivo e ulcerado (T2A, N0, M0). Como parte da investigação, paciente foi submetido a vídeolaparoscopia (VLP) diagnóstica que não evidenciou disseminação macroscópica do tumor, sendo programado retorno para gastrectomia total. Paciente foi então submetido a realização da gastrectomia total em Y de Roux + linfadenectomia + vagotomia troncular + esofagojejunoanastomose + punção de acesso venoso central em veia jugular interna direita (VJID), que ocorreu sem intercorrências. O paciente seguiu bem no pós operatório, sem queixas, apresentando saída de secreção serossanguinolenta em moderada quantidade de terço inferior de ferida operatória e aceitando bem a progressão da dieta. Recebeu alta hospitalar em abril de 2018 em boas condições clínicas com orientação de retorno ambulatorial para acompanhamento clínico. No seguimento, paciente apresentou melhora clínica.

DISCUSSÃO

Pouco se sabe sobre o risco de desenvolvimento de câncer em pacientes submetidos a cirurgia metabólica-bariátrica. Este tipo de procedimento pode dificultar o rastreio e diagnóstico dos pacientes tanto por mascarar sintomas clínicos como perda de peso, como por dificultar alguns procedimentos diagnósticos. Mais estudos precisam ser conduzidos para estabelecer se há correlação entre cirurgia da obesidade e incidência de câncer gástrico.

Área

ESTÔMAGO E DUODENO

Instituições

FCM - UPE - Pernambuco - Brasil

Autores

Pedro Cavalcanti de Albuquerque, Camilla Teixeira Machado Rocha, Mirella Gueiros Remigio, Ana Beatriz Diniz de Barros, Flávia Ferraz de Holanda Barbosa