Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ANALISE DO PERFIL DOS PACIENTES TRAZIDOS POR DIFERENTES SERVIÇOS DE ATENDIMENTO PRE-HOSPITALAR A UM HOSPITAL UNIVERSITARIO DE CURITIBA

OBJETIVO

Identificar o perfil dos pacientes trazidos ao serviço de emergência do hospital, avaliando dados como idade, gênero, tipo de trauma, escores de gravidade e procedimentos realizados na cena. Analisar se há diferença no perfil dos pacientes de acordo com o serviço de atendimento pré-hospitalar acionado (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - SAMU e Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência - SIATE).

MÉTODO

Pesquisa analítica transversal descritiva, desenvolvida em um serviço de emergência de um Hospital Universitário de Curitiba. Os dados foram obtidos através da aplicação de questionário, abordando aspectos do trauma e do paciente, em 1654 vítimas admitidas na sala de emergência através de serviços pré-hospitalares, entre dezembro de 2016 a fevereiro de 2018. Questionários incompletos foram descartados. Os dados obtidos foram dispostos em planilha do EXCEL® e analisados de forma descritiva. Foram aplicados também testes de hipótese para comparar os pacientes atendidos por cada serviço pré-hospitalar.

RESULTADOS

1420 pacientes tiveram o questionário adequadamente preenchido e foram incluídos. Destes, 60,4% foram trazidos pelo SIATE. Quanto ao sexo, 69,64% dos pacientes eram do sexo masculino, diferindo significativamente tal proporção entre os serviços de atendimento pré-hospitalar (71,79% no SIATE e 66,37% no SAMU, p = 0,03). A média de idade no SIATE foi de 36,13 anos (36 anos em homens e 38,76 em mulheres) e, no SAMU, 41,81 anos (38,86 em homens e 47,61 em mulheres), sendo tal diferença significativa estatisticamente (p<0,0001). Referente aos mecanismos de traumas, os homens como um todo foram acometidos 82% por traumas contusos, 10% por penetrantes e 7% por traumas combinados; enquanto as mulheres foram, respectivamente, 89%, 7% e 4%. Esses valores não apresentam alterações significativas com relação ao tipo de transporte pré-hospitalar (p> 0,05). Quanto aos escores de gravidade, os pacientes trazidos pelo SIATE apresentaram MGAP, GAP e RTS, respectivamente de 26,66, 22,44 e 8,4, enquanto que os pacientes atendidos pelo SAMU, pontuaram: 26,44, 22,28 e 8,44 (p> 0,05 ao comparar tais escores entre os serviços). Sobre procedimentos em cena, foram realizados 88 pelo SIATE e 54 pelo SAMU (p > 0,05). Os questionários foram aplicados em pacientes menos graves, uma vez que pacientes mais graves demandavam condutas imediatas ou possuíam consciência comprometida, inviabilizando a aplicação dos questionários, sendo um viés importante a se considerar.

CONCLUSÕES

O perfil mais frequente de pacientes trazidos pelo pré-hospitalar ao hospital estudado é homem, na 4ª década de vida, vítima de trauma contuso, de baixo risco, sem necessidade de procedimentos em cena. A média de idade dos pacientes atendidos foi significativamente maior no SAMU. Não houve diferença significativa entre os serviços de atendimento pré-hospital quanto aos escores de gravidade ou quanto ao número de procedimentos realizados em cena. Os questionários foram aplicados em pacientes menos graves.

Área

TRAUMA

Instituições

Hospital Universitário Cajuru - Parana - Brasil

Autores

Willian Augusto Guizzo, Viktoria Weihermann, Barbara Seidinger de Souza, Brenda Zeferino, Regina Goolkate, Luiz Carlos Von Bahten